7 erros na hora do passeio com o cachorro de estimação

Veterinária explica quais são os equívocos mais comuns, desde o modelo de guias a horários de passeio e falta de hidratação, e como evitá-los

7 erros na hora do passeio com o cachorro de estimação
Foto Pixabay

Muitos donos de cachorro acham que passear com o cãozinho é coisa fácil. Só colocar a coleira nele e sair para a rua. Mas a tarefa exige alguns cuidados especiais para garantir a segurança do animal e a qualidade do passeio.

Para auxiliar nesse sentido, a DogHero, aplicativo que promove a conexão entre quem tem cachorro e uma comunidade de passeadores e anfitriões escolhida a dedo, convidou Alessandra Amieiro, veterinária colaboradora da empresa, CRMV – SP 47027, a elencar quais são os erros mais comuns cometidos pelos donos de cachorro na hora do passeio e, mais importante, como evitá-los.

Confira abaixo quais são eles:

1. Não passear: não importa se o cãozinho vive em uma casa com quintal, brinca todo dia com alguém da família ou mesmo tem a companhia de outro animal no espaço. Passear com cachorro continua sendo uma necessidade tão importante quanto alimentação, vacinas e amor. Os passeios são responsáveis pela manutenção da saúde física e emocional do cachorro. Sem a atividade física, os cães podem desenvolver comportamentos como ansiedade, depressão, agressividade, além de sobrepeso e problemas articulares e musculares.

2. Não utilizar guias ou coleiras: alguns donos têm o hábito de passear com seus cachorros sem guia ou coleira com a justificativa que isso deixa os animais mais livres. No entanto, a escolha coloca em risco a vida do cachorrinho, uma vez que o deixa vulnerável a ser atropelado, comer algo impróprio jogado na rua ou mesmo se envolver em brigas com outros cães. Na hora do passeio, utilize sempre a guia e a coleira e escolhas opções que estejam adequadas ao corpo do seu cãozinho para deixá-lo seguro e confortável e evitar ferimentos.

3. Passear sem plaquinha de identificação: não é frescura, a plaquinha de identificação tem uma função clara: facilitar a busca pelo cachorro em caso de fuga ou de algum outro eventual incidente. Adquira uma para o seu cãozinho e grave nela o nome do seu animal e um telefone para contato. Acredite, o investimento vale a pena e garante mais segurança para você e para o seu peludo.

4. Passear em qualquer horário: este é outro erro bastante comum. Não passeie com o seu cachorro em horários em que o sol está muito forte e o chão muito quente. Isso evita que o seu cãozinho queime as patinhas e fique desidratado. Lembre-se: o passeio é uma atividade para fazê-lo se sentir bem e não o contrário.

5. Censurar o cachorro por fazer as necessidades na rua: é comum que durante o passeio o cachorro aproveite para atender fazer suas necessidades. Portanto, não censure o seu cãozinho quando isso acontecer. Pelo contrário, tenha sempre consigo saquinhos para coletar as fezes do seu peludo e descartá-las no lixo (nada de deixar o conteúdo na rua).

6. Não oferecer água durante o passeio: alguns donos só dão água para os seus cachorros ao voltarem para casa. Evite fazer isso e tenha sempre consigo um pouco de água e a ofereça ao seu cãozinho durante o trajeto. Isso garante que ele esteja sempre hidratado.

7. Não respeitar o limite físico de cada cachorro: este é outro erro bastante frequente. Todo cachorro tem de passear, mas a duração do passeio tem de estar adequado às necessidade de cada animal. Pugs, por exemplo, têm fisiologicamente algumas limitações respiratórias. Portanto, cães dessa raça não podem ter, necessariamente, um passeio com a mesma duração e velocidade que o de um cachorro da raça Golden, que possuem uma outra estrutura física. Ao notar que o seu cachorro está bastante cansado e ofegante, não o obrigue a continuar. Respeite o tempo do seu cãozinho e garanta a ele um passeio de qualidade.

DogHero

Disponível para Android, iOS e web, a DogHero é a maior empresa de serviços para cães da América Latina. Através do seu app e site, conecta quem tem cachorro a uma rede de passeadores e anfitriões escolhida a dedo. Atualmente, o aplicativo conta com mais de 18 mil anfitriões e passeadores em 750 cidades no Brasil, Argentina e México que passam por um extenso e rigoroso cadastro e recebem orientação adequada.

Em 2018, a startup foi listada no ranking das “100 startups to watch”, resultado de uma parceria entre as revistas PEGN e Época Negócios e a Corp.vc. A DogHero foi fundada em 2014 por Eduardo Baer e Fernando Gadotti.