Auxílio Belo Horizonte deve ser prorrogado por mais quatro meses

O projeto de lei foi encaminhado à Câmara e depende de aprovação dos vereadores

Auxílio Belo Horizonte deve ser prorrogado por mais quatro meses
Anúncio foi feito nesta quarta-feira (6) pelo prefeito Fuad Noman. (Foto: Rodrigo Clemente/PBH)

O prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman, apresentou nesta quarta-feira (6) projeto de lei que prevê o pagamento de mais quatro parcelas do programa Auxílio Belo Horizonte a 75.427 famílias em situação de pobreza e extrema pobreza na capital. O projeto de lei foi encaminhado à Câmara Municipal e depende de aprovação dos vereadores. A estimativa do próprio Legislativo é que o texto seja aprovado até agosto.

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, o investimento será de mais de R$ 55 milhões. Para as famílias em situação de extrema pobreza, os benefícios serão de R$ 800, divididos em 4 parcelas de R$ 200. Para aquelas em situação de pobreza, serão quatro parcelas de R$ 100. Todas as famílias já estavam cadastradas e são beneficiárias do Programa.

O valor adicional foi destacado pelo prefeito Fuad Noman como uma oportunidade de amenizar os efeitos da pandemia de Covid-19 no cotidiano dessas famílias. “Esse nosso empenho é exatamente para tentar favorecer esse prato de comida na mesa dessas pessoas, desses belo-horizontinos tão sofridos que passaram um período muito ruim na pandemia e que ainda não se recuperaram plenamente dessa situação”, afirmou.

Auxílio

O auxílio Belo Horizonte foi criado pela Prefeitura no ano passado por lei aprovada na Câmara Municipal e atendeu a mais de 204 mil famílias. Mais de R$ 180 milhões estão sendo investidos nos benefícios, pagos por meio de transferência bancária. Com as novas parcelas, a previsão é que o programa, custeado com 100% dos recursos vindos dos cofres do município, distribua aproximadamente R$ 240 milhões.

MAIS NOTÍCIAS