Judô desenvolve valores e condicionamento físico

O Judô é um esporte baseado na luta, com as técnicas de defesa e ataque, sendo um exemplo das Artes Marciais. Ele tem origem no século XVI, quando surgiram os primeiros estilos dessa prática. No Brasil, o Judô foi introduzido a partir da imigração japonesa. O profissional Wagner Giovane Barbosa atua no Judô há 32 […]

Judô desenvolve valores e condicionamento físico

O Judô é um esporte baseado na luta, com as técnicas de defesa e ataque, sendo um exemplo das Artes Marciais. Ele tem origem no século XVI, quando surgiram os primeiros estilos dessa prática. No Brasil, o Judô foi introduzido a partir da imigração japonesa.

O profissional Wagner Giovane Barbosa atua no Judô há 32 anos. Nesse tempo, teve experiência como atleta competidor, auxiliar técnico, professor, técnico e árbitro da Federação Mineira de Judô. De acordo com ele, não há uma idade certa para praticar esse Esporte. Mas, o quanto antes é melhor pois o caminho de quem pratica é longo em busca de  aprimoramento.

“Um dos primeiros aprendizados do judoca é cair no chão sem se machucar, bem como se posicionar de maneira favorável para si próprio sem precisar usar uma força exacerbada. Os Atletas que conseguem chegar até a faixa preta de Judô têm muito conhecimento sobre Arte Marcial e uma consciência grande sobre como aplicá-lo, aprimorando não somente a parte física, mas também a sua maturidade e espiritualidade”, diz.

O Judô, além dos ensinos sobre valores e comportamentos que são importantes para o crescimento como pessoa, também possui benefícios para o corpo e saúde. “Quem pratica judô fortalece abdômen, pernas, braços e diversos músculos. Sendo assim, quem procura emagrecimento e condicionamento físico, com esta arte marcial tem muito a ganhar”, afirma Wagner Giovane Barbosa.

Os princípios do Código Moral do Judô são: cortesia, coragem, honestidade, honra, modéstia, respeito, autocontrole e amizade. Durante as experiências em campeonatos, o profissional viu na prática os princípios. “O cumprimento entre judocas no final das lutas é opcional. Mesmo assim, vemos que em todas as lutas no final eles se cumprimentam. Quase sempre nasce uma grande amizade”, diz. (Fonte: Conselho Regional de Educação Física)