Cisne pede aumento de 16,25% na passagem de ônibus em Itabira

O último reajuste foi autorizado em abril de 2018.

Cisne pede aumento de 16,25% na passagem de ônibus em Itabira
Foto: Thamires Lopes/DeFato

Andar de ônibus em Itabira pode ficar mais caro em breve. A passagem do transporte coletivo de passageiros que atualmente custa R$ 4,00 (no cartão Transcard) pode ter um aumento de 16,25% passando para R$ 4,65. O pedido foi protocolado pela Transportes Cisne na Superintendência de Transportes e Trânsito de Itabira (Transita) em agosto de 2019. No entanto, o valor só foi revelado na tarde desta quarta-feira (12), durante reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito (CMTT).

Nestes seis meses, a Transita fez o estudo da planilha de custos e sugeriu o valor de R$ 4,57. Os conselheiros não chegaram a um consenso e a decisão ficou para depois do carnaval. Uma nova reunião do CMTT foi agendada para o dia 4 de março, às 14h. O encontro é público e acontece na Secretaria Municipal de Obras, no bairro Pará.

Conselho Municipal de Transportes e Trânsito se reuniu nesta quarta (12) – Foto: Thamires Lopes/DeFato

A composição da tarifa do transporte coletivo é calculada a partir do rateio entre os custos fixos e variáveis necessários à operação dos serviços (incluídos os custos de capital, depreciação e impostos) pelo número de passageiros pagantes. Porém, os passageiros isentos que são transportados representam um custo para o sistema, tendo em vista que estes são considerados no planejamento da empresa.

O conteúdo continua após o anúncio

A Transportes Cisne tem uma frota de 68 ônibus. No ano passado, 11 veículos foram substituídos por outros 0 km. Da frota total, quatro ônibus são reservas. Para a Transita, o ideal é que fossem seis. A vida útil de cada veículo é de 10 anos, e a idade média da frota é de cinco anos. A cada seis meses todos os ônibus passam por vistorias.

Pesquisas de satisfação com os usuários são realizadas a cada cinco anos. A última foi realizada em abril de 2014, pelo Grupo Tectran, e apontava alta desaprovação entre os usuários do transporte coletivo. Foram entrevistados 1300 pessoas que foram questionadas a respeito do valor da tarifa, tempo de espera, alcance das linhas, conforto e entre outros aspectos. Contudo, essas pesquisas não implicam no valor da tarifa.

Memória

O último reajuste foi autorizado em abril de 2018. A passagem custava R$ 3,65 e, após aprovado o aumento, foi definido tarifas diferenciada para o pagamento no cartão Transcard (R$ 4,00) e no dinheiro (R$ 4,10). Ainda não há discussão se será mantida variações dos dois tipos de pagamento com o próximo reajuste.

Em caso de aprovação do reajuste pelo Conselho de Trânsito, o requerimento segue para o prefeito Ronaldo Magalhães, que poderá aprovar ou não a majoração no preço das passagens.

MAIS NOTÍCIAS