Coronavírus: “Em 20 anos, eu nunca vi algo assim nesse país”, diz itabirana que tem empresa nos EUA

Moradora do país há 20 anos, Renata Rosa destacou o grande número de infectados pelo coronavírus nos EUA e chamou a atenção para a crise na economia esperada pela população

Coronavírus: “Em 20 anos, eu nunca vi algo assim nesse país”, diz itabirana que tem empresa nos EUA

“Em 20 anos, eu nunca vi algo assim nesse país”. Essas são as palavras da itabirana Renata Rosa, que mora com o marido e três filhos há 20 anos da cidade de Meriden, no estado de Connecticut, nos Estados Unidos. Renata conversou com a DeFato sobre o grande número de infectados pelo coronavírus no país e chamou a atenção para a crise na economia já esperada pela população. 

O estado que começou o regime de lockdown (confinamento total) há cinco semanas tem até o momento 12035 casos confirmados e 554 mortes. Ao todo o Estados Unidos tem 618.923 casos confirmados, 49.998 recuperados e 27.112 mortes.

Coronavírus: “Em 20 anos, eu nunca vi algo assim nesse país”, diz itabirana que tem empresa nos EUA
Renata conversou com a DeFato sobre o grande número de infectados pelo coronavírus no país

Renata, que junto do marido tem uma empresa de faxinas, conta que as incertezas quanto ao retorno das atividades no estado são muitas, principalmente em relação à possível crise econômica nos setores privados após a pandemia do coronavírus.

O conteúdo continua após o anúncio

“Tenho uma empresa de faxina. Moro aqui há 20 anos. Nunca vi algo assim nesse país, nem na recessão de cinco anos atrás passei por isso de tantos clientes ligarem cancelando, de não sabermos quando vai voltar”, disse a brasileira. 

Outra preocupação da itabirana é em relação aos funcionários da pequena empresa de limpeza. Até o momento o salário está sendo mantido, mas Renata não sabe até quando será possível continuar com os pagamentos. 

“Estou com muito medo de não ter mais a minha empresa. Tenho duas funcionárias que trabalham comigo, brasileiras, de Minas Gerais. Estão comigo há muito tempo e elas dependem do nosso trabalho. Estou segurando o máximo que posso, mas é uma época muito complicada. Ao mesmo tempo que estou com medo dos impactos do coronavírus, preciso ter esperança de que tudo melhore”, conta emocionada.

Alerta para os itabiranos

Renata deixa ainda um recado para os itabiranos diante do cenário do coronavírus. “Eu sempre vejo as notícias da cidade e deixo um recado para vocês: as pessoas estão muito na rua. É preciso cuidado! Aqui os bancos estão abertos com sistema de drive thru. O interior só funciona com horário marcado, não tem aglomeração”, finalizou.

MAIS NOTÍCIAS