Todas as vidas importam? Parece que a do ex-presidente Bolsonaro não!

Com a delação do ex-policial Ronnie Lessa, esclareceu-se, por fim, que as suspeitas eram infundadas, mas o desgaste sobre Bolsonaro causou estragos profundos sobre suas costas

Todas as vidas importam? Parece que a do ex-presidente Bolsonaro não!
Foto: Isac Nóbrega/PR

Espanta-me a grande mídia brasileira, de maneira geral, ocupar espaços em seus noticiários sobre a vereadora Marielle Franco, assassinada por se tornar obstáculo a interesses de grupo de milicianos no Rio de Janeiro.

A princípio, na verdade, até algum tempo atrás, se dava destaque por que se acusava pessoas ligadas ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) de tê-la matado.

Com a delação do ex-policial Ronnie Lessa, esclareceu-se, por fim, que as suspeitas eram infundadas, mas o desgaste sobre Bolsonaro causou estragos profundos sobre suas costas. Afinal, ter que provar que não foi o autor do bárbaro crime a quem não interessava que ele fosse inocentado parecia uma missão impossível.

O destino e evidências puseram a verdade a descoberto.

Bolsonaro tem sido acusado de coisas absolutamente absurdas, como o roubo dos móveis do Palácio da Alvorada, que agora foi descoberto em um dos seus cômodos, mas, que nesse meio tempo, serviu para que a Janja comprasse a preço de ouro novo mobiliário para seu deleite.

Há notícias de que Lula quer adquirir um novo avião presidencial, ao custo de R$ 400 milhões, dotado de suíte presidencial para suas altezas desfrutarem nas longas e prazerosas viagens internacionais.

Imputam coisas tão esdrúxulas ao ex-presidente e, quando se descobre não haver fundamento, sequer um pedido de desculpas se ouve dos agressores/acusadores. O Lula, por exemplo, fez escárnio sobre o achado dos móveis no porão do Palácio. Segundo ele, “Bolsonaro devolveu os móveis de madrugada”.

Um fato recente chamou a atenção, inclusive, da mídia internacional, quando Bolsonaro foi acusado de “incomodar” uma baleia quando passeava de jet ski na orla marinha.

A “Justiça” brasileira está mais preocupada em incriminar o ex-chefe do Executivo federal, aliada a interesses escusos, aparentemente em favor do atual ocupante da presidência. Todos os indícios levam a essa conclusão desde sua libertação da prisão no Paraná, com o caminho previamente traçado até ele ocupar o espaço no Planalto.

Não se entende, ainda, o porquê a Justiça brasileira não determina a apuração dos mandantes da tentativa de assassinato do Bolsonaro em Juiz de Fora, durante sua campanha à presidência em 2018.

Adélio Bispo teve ao seu dispor ao menos três renomados advogados contratados para sua defesa e, não se sabe quem pagou suas despesas que o tornaram inimputável dessa tentativa de morte.

Na cidade gaúcha de Não Me Toque, numa feira do agro, em 6 de março, com a presença de Jair Bolsonaro, a polícia local prendeu um homem armado de um punhal em meio a apoiadores e frequentadores da feira.

A esquerda não está dormindo, apenas finge estar dormindo, mas certamente não vai sossegar enquanto não aniquilar a reputação do ex-presidente ou tirar a sua vida. Lula tem demonstrado desconforto com o crescimento da direita no mundo, em especial em países no entorno do Brasil, o que pode ameaçar seus diabólicos planos de criar a Ursal (União das Repúblicas Socialistas da América Latina).

As amizades de Lula são universalmente conhecidas; o ditador Nicolás Maduro, o presidente de Cuba, o presidente russo Vladimir Putin, o grupo terrorista Hamas, o Irã e todos os países que se encaixam no perfil do quanto pior, melhor.

Enquanto isso, aqui no Brasil, Lula enfraquece a Petrobras com suas falas inconsequentes, enfraquece a Vale com seu ambicioso plano de indicar o executivo da mineradora e vai destruindo empresas que, a cada dia, fazem fila de falência e pedidos de concordata.

No nordeste, de onde esse indivíduo surgiu, a transposição do Rio São Francisco, que fornecia água para famílias carentes no agreste, parou de fornecer o líquido precioso, o Programa Bolsa Família continua alimentando a maioria da população, o acesso às escolas tornou-se mais difícil a quem pretendia estudar. Prato cheio para um governo que prefere um povo abestalhado de forma que ele consiga sempre se reeleger.

Alírio de Oliveira é jornalista e escreve sobre política em DeFato Online.

*** O conteúdo expresso é de total responsabilidade do colunista e não representa a opinião da DeFato.

cassino criptomoedas

MAIS NOTÍCIAS