Vice-prefeito de Itajubá é preso em operação que apura desvios de recursos do Hospital das Clínicas

A denúncia atribuiu aos investigados crimes de organização criminosa, peculato, corrupção ativa e passiva e um delito de lavagem de valores

Vice-prefeito de Itajubá é preso em operação que apura desvios de recursos do Hospital das Clínicas
(Foto: Divulgação/Prefeitura de Itajubá-MG)

O vice-prefeito de Itajubá, Nilo Baracho, foi preso durante duas operações contra corrupção deflagradas na manhã dessa terça-feira (20) em Itajubá, no Sul de Minas Gerais. Ao todo, foram cumpridos dez mandados de prisão, sendo quatro preventivas e seis temporárias, e 25 mandados de busca e apreensão nas cidades de Itajubá (MG), Campos do Jordão e São José dos Campos, ambas em São Paulo.

As operações foram deflagradas em um trabalho integrado entre Ministério Público, Polícia Civil e Polícia Militar de Minas Gerais. As ações investigam desvios de recursos públicos e privados do Hospital de Clínicas e o superfaturamento de serviços da frota veicular de secretarias municipais.

O vice-prefeito de Itajubá foi preso durante a operação Transfusão, que investiga desvios de recursos públicos e privados do Hospital das Clínicas do município, consentidos pelo atual secretário Municipal de Saúde e vice-Prefeito da cidade. A denúncia, já apresentada ao Poder Judiciário, atribuiu aos investigados crimes de organização criminosa, peculato, corrupção ativa e passiva e um delito de lavagem de valores.

Já a operação Sepulcro Caiado, presidida pela Polícia Civil, investiga a prática de desvio de recursos públicos por intermédio do superfaturamento de serviços de manutenção da frota veicular das Secretarias de Saúde, Educação e de Obras de Itajubá.

Além do vice-prefeito de Itajubá e o servidor público municipal, outros três empresários foram presos na operação Sepulcro Caiado. Os mandados foram cumpridos em Itajubá, Piranguçu, Campos do Jordão e São José dos Campos. Além das prisões, foram apreendidos dinheiro, joias, celulares, veículos e documentos.

“Conforme apurado até o momento, o município realizava pagamentos de serviços de mecânica que não eram verdadeiramente realizados, através, principalmente, da falsa inserção de notas fiscais de peças nunca utilizadas nos veículos. Em contrapartida, agentes públicos recebiam valores para que os desvios pudessem ocorrer. Dentre eles, o atual secretário Municipal de Saúde e vice-Prefeito de Itajubá”, informou o Ministério Público de Minas Gerais.

cassino criptomoedas