A vida se faz história

Confira a coluna de estreia do Padre Anderson Ferreira Teixeira

A vida se faz história
O conteúdo continua após o anúncio


Caros amigos e leitores da DeFato. Com muita alegria recebi o convite para semanalmente estar com vocês através de uma coluna neste site. Sinto–me honrado com essa oportunidade.

Quero, através dessa coluna, chegar até você onde quer que você esteja e mantermos um diálogo que seja proveitoso para todos nós.

Na sociedade moderna se faz, cada vez mais, necessário usarmos os meios de comunicação e as mídias sociais para anunciarmos Jesus Cristo que é a comunicação da misericórdia de Deus.

O próprio Jesus Cristo nos pede: “O que vos digo na escuridão, dizei-o às claras. O que vos é dito ao ouvido, publicai-o de cima dos telhados”. (Mateus 10,27b)

Sobre a Comunicação destaco aqui um trecho da mensagem do Papa Francisco para o 54º Dia Mundial das Comunicações: Para que possas contar e fixar na memória” (Ex 10, 2).

A vida faz-se história ».

O conteúdo continua após o anúncio

“…O homem é um ente narrador. Desde pequenos, temos fome de histórias, como a temos de alimento. Sejam elas em forma de fábula, romance, filme, canção, ou simples notícia, influenciam a nossa vida, mesmo sem termos consciência disso. Muitas vezes, decidimos aquilo que é justo ou errado com base nos personagens e histórias assimiladas. As narrativas marcam-nos, plasmam as nossas convicções e comportamentos, podem ajudar-nos a compreender e dizer quem somos.

O homem não só é o único ser que precisa de vestuário para cobrir a própria vulnerabilidade (cf. Gn 3, 21), mas também o único que tem necessidade de narrar-se a si mesmo, “revestir-se” de histórias para guardar a própria vida. Não tecemos apenas roupa, mas também histórias: de fato, servimo-nos da capacidade humana de “tecer” quer para os tecidos, quer para os textos. As histórias de todos os tempos têm um “tear” comum: a estrutura prevê “heróis” – mesmo do dia-a-dia – que, para encalçar um sonho, enfrentam situações difíceis, combatem o mal movidos por uma força que os torna corajosos, a força do amor. Mergulhando dentro das histórias, podemos voltar a encontrar razões heroicas para enfrentar os desafios da vida. O homem é um ente narrador, porque em devir: descobre-se e enriquece-se com as tramas dos seus dias…”.

O título desta Mensagem é tirado do livro do Êxodo, narrativa bíblica fundamental que nos faz ver Deus a intervir na história do seu povo. Com efeito, quando os filhos de Israel, escravizados, clamam por Ele, Deus ouve e recorda-Se: “Deus recordou-Se da sua aliança com Abraão, Isaac e Jacob. Deus viu os filhos de Israel e reconheceu-os” (Ex 2, 24-25). Da memória de Deus brota a libertação da opressão, que se verifica através de sinais e prodígios. E aqui o Senhor dá a Moisés o sentido de todos estes sinais: “Para que possas contar e fixar na memória do teu filho e do filho do teu filho (…) os meus sinais que Eu realizei no meio deles. E vós conhecereis que Eu sou o Senhor” (Ex 10, 2). A experiência do Êxodo ensina-nos que o conhecimento de Deus se transmite, sobretudo contando, de geração em geração, como Ele continua a tornar-Se presente. O Deus da vida comunica-se narrando a vida .

Assim espero que possamos estabelecer um vínculo de comunicação e tecer histórias à luz do evangelho.

Aproveito a oportunidade e desejo a todos um abençoado 2021.

Padre Anderson Ferreira Teixeira é colunista da DeFato Online.

O conteúdo expresso é de total responsabilidade do colunista e não representa a opinião da DeFato.

MAIS NOTÍCIAS