Anglo American destina R$ 20 milhões a ações de combate ao coronavírus e apoio às comunidades

Principais iniciativas envolvem doações de equipamentos médicos, contratação da mão de obra local para produção de máscaras, contribuições para pesquisa, além de incentivo financeiro para ações de voluntariado dos empregados

Anglo American destina R$ 20 milhões a ações de combate ao coronavírus e apoio às comunidades
Foto: Divulgação

A Anglo American já destinou recursos da ordem de R$ 20 milhões para combate e prevenção do coronavírus nos municípios em que está presente nos estados de Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro. Os investimentos são destinados a ações diversas como incentivo a pesquisas, aquisição e doação de equipamentos médicos e de proteção individual, apoio às comunidades e fornecedores, além de adequações internas e incentivo ao engajamento dos empregados em doações voluntárias.

Alinhada com seus valores e o seu propósito de re-imaginar a mineração para melhorar a vida das pessoas, a empresa tomou medidas imediatas para impedir a propagação do vírus e responder aos surtos de contaminação, minimizando impactos negativos e preparando-se para a recuperação pós-crise.

Entre as primeiras ações de prevenção e resposta, está a doação de equipamentos de proteção individual e materiais de saúde para municípios da área de atuação da empresa.

São, até agora, 16 aparelhos respiradores, testes para detecção da Covid-19, entre outros Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Nas últimas semanas, seis desses respiradores foram entregues em Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim, Sabinópolis e Serro, além de máscaras cirúrgicas e máscaras PFF2, óculos de proteção e álcool gel.

A companhia doou, ainda, R$ 500 mil para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para apoiar programas de pesquisa, capacitação e produção de kits para diagnóstico de Covid-19 no país.

E mais: a Fundação Anglo American estabeleceu uma iniciativa global de voluntariado chamada Global Match Giving Program. A ideia é juntar os esforços dos empregados e da empresa para o combate ao Covid-19. Dessa forma, doações feitas pelos empregados para a Fiocruz serão acompanhadas por doações de igual valor pela Fundação Anglo American, no limite de 1.000 libras (aproximadamente R$ 7 mil) por pessoa.

“Estamos investindo em várias frentes, pois compreendemos tanto nosso papel direto no combate à pandemia quanto no apoio às comunidades onde operamos para que possamos lidar com a situação da melhor forma possível. A Anglo American sempre trabalhou em parceria com o poder público e vem reforçando esse vínculo ainda mais durante a crise do novo coronavírus”, ressalta Reinaldo Brandão, diretor de operações do Minas-Rio.

Geração de renda local

Ciente de seu papel social, a Anglo American vem mantendo uma atuação próxima às comunidades dos municípios onde está presente. Exemplo disso é a contratação de mais de 90 costureiras dos municípios onde atua para a produção de 40 mil máscaras de proteção. Com isso, a empresa contribui para o alívio econômico de trabalhadoras autônomas regionais, ao mesmo tempo que investe na prevenção ao contágio.

Ana Paula Thomaz, moradora de Conceição do Mato Dentro, é costureira há 12 anos. Sua especialidade é trabalhar com malha e lycra. Com os pedidos dos clientes habituais praticamente zerado, ela recebeu o trabalho de produção das máscaras com alívio.

“É um trabalho muito bem-vindo. Está sendo maravilhoso para mim porque todos os meus clientes de moda praia e acadeAnglo American destina R$ 20 milhões a ações de combate ao coronavírus e apoio às comunidades Principais iniciativas envolvem doações de equipamentos médicos, contratação da mão de obra local para produção de máscaras, contribuições para pesquisa, além de incentivo financeiro para ações de voluntariado dos empregados mias, que são meus públicos, estão parados”, desabafa. Agora, ela conta com o dinheiro das máscaras que estão sendo produzidas para a empresa para conseguir pagar suas contas. “Eu já estava fazendo algumas máscaras para doação, mas agora consigo ficar ocupada com isso todo o meu tempo. É muito bom poder contribuir no combate à doença. Estou ajudando e sendo ajudada”, afirma.

Muitas das costureiras envolvidas no trabalho já haviam participado de capacitações profissionais nessa área oferecidas pela Anglo American, em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG). Agora, elas têm a oportunidade de aplicar o conhecimento adquirido e gerar renda, que vem para suprir a atual queda nas vendas de artesanato e outros produtos.

Para garantir a segurança, equipes da empresa elaboraram uma cartilha de especificações técnicas para ser distribuída às costureiras, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). A companhia fornece, ainda, os materiais de costura e faz a gestão da qualidade do produto. Por serem de pano, as máscaras poderão ser lavadas e reutilizadas.

Prevenção ao contágio nas operações

A Anglo American reforça seu compromisso de prevenir e evitar a disseminação do coronavírus entre seus empregados, fornecedores e comunidades vizinhas. Em sintonia com as determinações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, uma série de medidas preventivas foram implementadas nas operações da empresa no país.

Exemplo disso é a implantação de trabalho remoto das áreas administrativas. Já são mais de 3.000 empregados a menos nas operações, dos quais 2.000 no sistema Minas-Rio e 1.000 em Goiás. Essa medida foi fundamental para reduzir significativamente o fluxo nas áreas industriais e entre os municípios.

Nas instalações da companhia, todas as medidas sanitárias necessárias para manter a segurança dos trabalhadores foram adotadas, como o distanciamento mínimo de dois metros nas áreas comuns, aferição de temperatura no acesso às operações, suspensão de viagens e eventos, entre outras.

MAIS NOTÍCIAS