Após seis décadas de mineração, Itabira faz hoje seu 1º simulado de evacuação

Marcado para as 15h deste sábado, treinamento deve mobilizar cerca de 27 mil pessoas segundo a Defesa Civil

Após seis décadas de mineração, Itabira faz hoje seu 1º simulado de evacuação
Simulado de evacuação em Itabira é o maior já realizado no país

Itabira, 17 de agosto de 2019. Às 15h deste sábado, o município berço da Vale e com mais de seis décadas de mineração passará pelo seu primeiro simulado de evacuação por risco de rompimento de barragem de rejeitos.

São ao todo 15 represas de contenção de resíduos da mineradora, sendo a do Pontal a primeira a ser implantada, em 1972, com capacidade de 226 milhões de metros cúbicos de rejeitos.

Para se ter uma ideia, a barragem que se rompeu em Brumadinho, em 25 de janeiro, tinha 12,7 milhões de metros cúbicos. Ao entrar em colapso, o mar de lama matou 248 pessoas e outras 22 estão desaparecidas.

Foi exatamente após esse desastre que os simulados de evacuação passaram a ser executados. A organização da tarefa cabe à Defesa Civil Estadual, juntamente com o município. A empresa extrativa é responsável por fornecer o suporte para a realização do treinamento.

mapa
Mapa mostra as barragens de Itabira, mancha da inundação e pontos de encontro – Foto: Divulgação Vale

Maior simulado do país

O simulado de evacuação que acontece hoje em Itabira será o maior treinamento desse tipo já realizado no país. Itabira tem cerca de 120 mil habitantes. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) espera mobilizar 27 mil pessoas.

Dessas, aproximadamente 13 mil são moradores dos mais de 5.000 imóveis de 11 bairros que estão nas Zonas de Autossalvamento (ZAS), áreas jusantes às barragens Itabiruçu, Conceição, Rio de Peixe, Sistema Pontal e Cambucal l e ll.

Outras 6.000 pessoas estão nas zonas secundárias. Os funcionários da Vale somam 5.000. Cerca de 2.500 pessoas estarão envolvidas na organização e condução do treinamento. Além disso, são contabilizadas as tropas da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil municipal e estadual e membros da Defesa Civil de outros Estados
que virão como observadores.

Reuniões preparatórias

O simulado de evacuação altera neste sábado toda a rotina do município. Pela manhã, às 9h e às 11h, serão realizadas reuniões com as comunidades dos bairros localizadas em áreas de risco.

Os encontros acontecem em nove pontos diferentes. Serão nestes encontros que as pessoas serão informadas sobre o que levar, como se deslocar e todas as informações pertinentes sobre uma evacuação em caso de situação de risco.

Locais e horários das reuniões preparatórias 

Placa faz parte de plano de emergência que está sendo implementado pela Vale em Itabira — Foto: Lucas Henrique de Morais/Arquivo Pessoal

Pontos de Encontro

Na hora do simulado, marcado para as 15h, ao ouvir as sirenes de alerta e os avisos de evacuação dos carros de som, a população deverá se dirigir para um dos 96 pontos de encontro.

Em alguns deles são esperados mais de 1.000 pessoas. Para chegar a estes locais seguros, a população deve seguir as placas indicativas de “Rota de Fuga”. Em toda a Itabira, foram instaladas mais de 1.800 dessas placas de sinalização. A Defesa Civil convoca a população a participar do treinamento.

“O simulado não é da Vale, não é da Defesa Civil, não é dos órgãos do governo. O simulado é da população. O protagonista de toda essa operação é o cidadão. Ele é quem deve ter todas as informações, saber sua rota de fuga, qual seu ponto de encontro e qual a sua dificuldade.” Tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Defesa Civil Estadual

Defesa Civil estima mobilizar 27 mil pessoas no simulado

Modelo

Para a Cedec, o simulado de evacuação de Itabira é um grande desafio porque nunca foi feito no Brasil um treinamento com a quantidade de pessoas como é esperado.

A organização foi realizada em conjunto, tanto com a Prefeitura, através da Secretaria de Meio Ambiente, com a Polícia Militar,  que vai colocar toda sua capacidade operacional para que não aconteçam furtos ou arrombamentos às residências no momento que os moradores estarão fora de casa.

O Corpo de Bombeiros fará o auxílio às pessoas com dificuldade de locomoção, ou qualquer outra deficiência. Foram contabilizadas 1.350 pessoas com mobilidade reduzida.

“O simulado de Itabira tem características bem diferentes e, por isso, é um simulado que foi planejado há vários meses. Em função desse planejamento, ele é um modelo a ser seguido no Brasil. Todas as informações foram muito bem captadas e agora vamos fazer com que isso vire conhecimento para que as pessoas possam aproveitar disso para ter segurança na sua cidade”. Tenente-coronel Flávio Godinho