Inteligência artificial e automação: a busca pela maior eficiência

Tendo em vista um cenário cada vez mais desafiador, a busca por ferramentas e meios para aumentar a performance e melhorar os resultados finais, inclusive os financeiros, é constante

Inteligência artificial e automação: a busca pela maior eficiência

Escoar produtos, levar matéria-prima e gerar riqueza com eficiência em um país tão grande como o Brasil, onde os modais de transportes nem sempre se interligam ou estão em boas condições, é um verdadeiro desafio para os players que querem se manter no mercado.

Hoje a logística pode ser responsável por até 35% dos custos de produtos de uma empresa.  A tributação, variável de cidade em cidade e de Estado em Estado também é um fator que influencia nas decisões logísticas do transporte de mercadorias pelas terras brasileiras. Então, garantir a eficiência de ponta a ponta do processo de logística é essencial para quem quer se destacar e ser competitivo.

Tendo em vista um cenário cada vez mais desafiador, a busca por ferramentas e meios para aumentar a performance e melhorar os resultados finais, inclusive os financeiros, é constante. E grandes aliadas para essa almejada eficiência são a Inteligência Artificial (AI) e a automação.

É possível que com os novos recursos tecnológicos o player consiga não apenas definir as melhores rotas, os melhores modais, mas também levar em consideração na hora do seu planejamento informações de fontes externas, como clima, fatores sociais (greves e manifestações), aumento de preços de combustíveis, entre outros.

Se no passado, esse tipo de tecnologia era mais restrito aos grandes players, hoje com o aumento da digitalização, a AI e a automação inteligente podem ser realidade para todo o tipo e tamanho de empresas de logística. Sempre se considerando a existência dos três elementos básicos para soluções de inteligência artificial: dados sobre o negócio, infraestrutura de computação e desenvolvimento dos algoritmos em si.

Dentro da logística a ciência de dados pode ser usada em diferentes propostas. Analisando o Sell-In (Venda do fabricante, da indústria para o canal distribuidor ou varejista) e o Sell-Out (passo seguinte da venda, a entrega ao cliente final) com AI, tantos as empresas de logística, como as empresas produtoras poderão encontrar pontos de melhoria para otimizar a cadeia de suprimento, poderão criar algoritmos de predição para evitarem atrasos, perdas e quebra futuras na cadeia de suprimento e ainda poderão criar recomendação de novas estratégias.

O conteúdo continua após o anúncio

Considerando uma empresa produtora de medicamentos, por exemplo, monitorar apenas as vendas aos canais de distribuição (redes de farmácias) dará uma visão limitada dos problemas e oportunidades, mas monitorar a venda dos pontos ao consumidor final permitirá que o player se antecipe e veja a cadeia como um todo, prevê o quanto ele vai vender na ponta e em cada etapa.

Com essa informação organizada, é possível entender e preparar desde a venda para o distribuidor até a entrega do produto ao consumidor final. Trabalhando isso de maneira integrada e inteligente, oportunidades de negócios podem ser criadas; problemas na cadeia de suprimentos, previstos; entre outros fatores que incidem diretamente sobre a otimização da efetividade do empreendimento.

O Agronegócio é outro setor que pode ser muito beneficiado pelas novas tecnologias. O escoamento da safra ou recebimento de insumos é extremamente condicionado não apenas a condição das vias, mas, principalmente a fatores externos. Existem plantações em nosso país nas quais se chegam apenas por estradas de terra. Além do tempo que se perde, dada a qualidade dessas estradas, se chover, por exemplo, a entrega ou retirada de produtos pode demorar dias ou até semanas, o que comprometeria a safra.

A aplicação da ciência de dados permite que quando se faz o planejamento da entrega, seja associado à rota a previsão do clima, problema social, como greve, manifestações indígenas. Isso facilita a tomada de decisão para reagendamentos, novas rotas, novos modais e até mesmo o horário de partida e chegada dos caminhões ao campo. Tudo visando o melhor custo e a SLA (Acordo de Nível de Serviço) da entrega.

Em empresas de logísticas propriamente ditas, a automação pode ser empregada, por exemplo, no gerenciamento de despacho de caminhões. Com a implantação de um sistema de leitura de placas é possível ver que o tipo e a carga do caminhão, acompanhar periodicamente e automaticamente as multas do veículo em todo o país e supervisionar entregas.

Como se pode perceber, cada vez mais a tecnologia evoluiu para ser utilizada a favor da produção de valor e da gestão efetiva nas empresas. A AI e a automação inteligentes são ferramentas para garantir aumento na produtividade, melhora nos processos de armazenagem, diminuição nas falhas, redução de gastos, e, consequentemente, aumento da satisfação do cliente.

Serviços relacionados