Oferta de imóveis em Barão de Cocais está abaixo da necessidade, aponta prefeitura

Risco de rompimento de barragem levou 140 famílias a viverem em hotéis e casas alugadas pela Vale até mesmo em outras cidades

Oferta de imóveis em Barão de Cocais está abaixo da necessidade, aponta prefeitura

Os últimos acontecimentos em Barão de Cocais provocaram fortes impactos no cotidiano do município e, ainda hoje, desafiam os vários segmentos da economia. Dentre estes, chama atenção o setor imobiliário.

É que a oferta de imóveis na cidade não foi suficiente para atender a demanda gerada desde 8 de fevereiro, quando a sirene tocou no Complexo do Gongo Soco, em alerta de rompimento iminente da Barragem Sul Superior. Cerca de 140 famílias das comunidades de Socorro, Piteiras, Vila do Gongo e Tabuleiro tiveram de deixar suas casas às pressas e desde então vivem em hotéis ou casas alugadas pela Vale em contratos longos, de três anos.

“Está muito complicado encontrar uma casa disponível em Barão de Cocais. Tanto que algumas famílias foram encaminhadas para Santa Bárbara”, comenta o secretário de Desenvolvimento Econômico, Juvenal Caldeira.

A falta de habitações suficientes no mercado de Barão de Cocais para acolher as famílias evacuadas se desenhou já na semana seguinte ao toque da sirene.

Ao receber a informação de que a barragem estava mesmo em situação crítica de estabilidade, e que as famílias precisariam ficar fora das comunidades por tempo indeterminado, a Prefeitura de Barão de Cocais realizou um levantamento de moradias disponíveis.

O conteúdo continua após o anúncio

Só encontrou 60 casas – número suficiente para uma situação normal de migração, mas longe de atender o que pedia a nova realidade.

Nos primeiros dias após a evacuação das comunidades sob risco, quase todas as pessoas foram encaminhadas às pressas para hotéis ou casas de familiares. Aos poucos, as famílias passaram a ser remanejadas para casas locadas pela Vale.

Uma corretora de imóveis conta que o mercado não estava preparado para tanta demanda. “Muita gente reformou casa às pressas, teve quem saiu da própria casa para alugá-la. Foi preciso captar esses imóveis”, comentou.

A expectativa agora, dizem as fontes ouvidas pela reportagem, é que o setor imobiliário de Barão de Cocais registre nos próximos períodos uma movimentação para adequar-se à nova realidade, em que a demanda por imóveis está bem maior que a oferta.

Para saber mais sobre o mercado imobiliário em Barão de Cocais, uma pesquisa foi lançada. Responda abaixo.

Serviços relacionados