Casais se preparam para Casamento Comunitário em João Monlevade

Após 10 anos de um dos maiores casamentos comunitários do Brasil, em que 4.175 casais trocaram alianças assistidos por 11 mil pessoas no Mato Grosso, a realização de cerimônias coletivas, como a que aconteceu em 2009, continuam motivando casais a investirem na celebração da união de forma compartilhada. Em João Monlevade, a proposta de casamento […]

Casais se preparam para Casamento Comunitário em João Monlevade
Tayra e Allan estão juntos há um ano e vão se casar

Após 10 anos de um dos maiores casamentos comunitários do Brasil, em que 4.175 casais trocaram alianças assistidos por 11 mil pessoas no Mato Grosso, a realização de cerimônias coletivas, como a que aconteceu em 2009, continuam motivando casais a investirem na celebração da união de forma compartilhada.

Em João Monlevade, a proposta de casamento coletivo partiu da Igreja do Evangelho Quadrangular com o objetivo de atender à casais que frequentam a instituição e que não possuem condições financeiras para arcar com os custos da solenidade. Na cidade, o casamento acontece no dia 31 de maio às 19h na própria Igreja. Cerca de sete casais vão participar da iniciativa.

Para arrecadar fundos e tornar real o sonho de chegar até o altar, serão promovidas ações a fim de conseguir recursos para custear as despesas do casamento, como decoração, registro em cartório e, em alguns casos, vestidos para as noivas, sapatos e maquiagem.

Tayra Fernanda Delfino,30, encontrou na oportunidade a chance de se casar após um ano de relacionamento com o seu companheiro, Allan Alexander Cruz Marques, 29. Apesar do desejo do matrimônio existir entre o casal, as despesas para oficializar a união dificultaram o andamento do casamento.

“Muitas noivas e noivos não conseguem se casar. Essa oportunidade é maravilhosa para nós. Estamos muito felizes e que seja lindo o grande dia. Espero que essa data vire tradição na igreja.”, ressalta Tayara, que ainda está tentando conseguir as alianças.

Segundo a noiva, 80% do casamento está sendo bancado pelos valores arrecadados a partir de projetos realizados pela igreja e os noivos terão três meses para organizar tudo, contando desde o dia do convite feito pela instituição religiosa, no mês de fevereiro.