Cenibra tem novo presidente e prepara modernização de fábrica no Vale do Aço

A Celulose Nipo-Brasileira S.A (Cenibra) apresentou na noite dessa sexta-feira, 14 de junho, em suas instalações em Belo Oriente, seu novo presidente. A partir de agora, o comando da empresa passa a ser exercido pelo japonês Kazuhiko Kamada, que assume o lugar do compatriota Nahoiro Doi. Um dos objetivos da nova gestão, segundo o executivo, […]

Cenibra tem novo presidente e prepara modernização de fábrica no Vale do Aço
Kazuhiko Kamada assume a presidência da Cenibra – Foto: Rodrigo Andrade/DeFato|||

A Celulose Nipo-Brasileira S.A (Cenibra) apresentou na noite dessa sexta-feira, 14 de junho, em suas instalações em Belo Oriente, seu novo presidente. A partir de agora, o comando da empresa passa a ser exercido pelo japonês Kazuhiko Kamada, que assume o lugar do compatriota Nahoiro Doi. Um dos objetivos da nova gestão, segundo o executivo, será modernizar a fábrica no Vale do Aço.

Kazuhiko Kamada é casado, tem 59 anos e atuava desde 2015 como diretor da Oji Holdings Corporation, uma das subsidiárias do Grupo JBP, acionista majoritária da Cenibra. Ele foi indicado para o cargo de presidente por uma assembleia extraordinária dos acionistas, que se reuniram após aposentadoria de Nahoiro Doi, há 20 anos com funções executivas na fábrica de celulose.

Novo presidente tem ajuda de tradutor para se comunicar – Foto: Rodrigo Andrade/DeFato

Ainda sem se comunicar em português, com a ajuda de um tradutor, Kamada falou resumidamente sobre o que pensa para sua gestão. “A Cenibra já é uma empresa muito boa, com grandes resultados. Eu gostaria de fazer da Cenibra uma empresa melhor ainda, que os funcionários admirem. Como a fábrica já é mais antiga, estou pensando em modernizá-la. Uma empresa mais antiga pode ter mais problemas. Então, com a modernização, a perspectiva é de reduzir esses problemas”, comentou.

Em seu discurso de despedida, Nahoiro Doi, já com o português fluente, abordou a situação política e econômica do Brasil. Disse que o cenário de incertezas ainda reflete sobre as empresas, mas que o respaldo que recebe do Japão é um ponto forte da Cenibra para enfrentar os empecilhos.

Naohiro Doi deixa a presidência da Cenibra – Foto: Rodrigo Andrade/DeFato

“As questões políticas do novo governo continuam e as incertezas políticas e sociais recaem sobre nossas empresas. Apesar desse cenário, o positivo para a Cenibra é que nossas lideranças no Japão confiam na sinergia e no capacidade de superação da empresa e de seus empregados”, disse o ex-presidente, que também comentou sobre o futuro da empresa que comandou: “Estamos continuando a realizar novos investimentos para a modernização da fábrica e do processo industrial e estudando sobre a ampliação da capacidade de produção, os quais fortalecerão ainda mais a nossa competitividade no mercado internacional”.

Naohiro Doi foi diretor-presidente da Cenibra desde 2016, tendo trabalhado também na empresa no período de 1978 a 1985, como assessor da Diretoria de Controle. Em janeiro de 2000, retornou ao Brasil e assumiu a Diretoria de Controle. Em 2001, participou efetivamente do processo de compra da Cenibra pela JBP e assumiu a Diretoria Administrativa e Financeira. Primeiro japonês diretor a completar mais de dez anos de empresa, passou ainda pela Diretoria da Vice-Presidência antes de chegar ao comando geral.

Kazuhiko Kamada e Naohiro Doi em evento da Cenibra em Belo Oriente – Foto: Rodrigo Andrade/DeFato

Cenibra

A Cenibra é uma das maiores produtoras mundiais de celulose branqueada de fibra curta de eucalipto. Sua produção anual é de aproximadamente 1,2 milhão de toneladas. Deste total,  97% é direcionado ao mercado externo, atendendo Europa, América do Norte, Ásia e Japão. A empresa está presente em 54 municípios de Minas Gerais, gerando cerca de 8 mil empregos entre diretos e indiretos.