Covid-19: Fiscalização autua bares itabiranos por descumprirem decreto

As visitas foram realizadas na noite de sexta-feira (15), em bares da Esplanada da Estação

Covid-19: Fiscalização autua bares itabiranos por descumprirem decreto
Foto: Redes Sociais -Valentim Empório Cervejeiro/ Jr Foto Art
O conteúdo continua após o anúncio


Na noite dessa sexta-feira (15), os fiscais do Departamento de Postura, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano de Itabira, visitaram estabelecimentos comerciais que descumpriram o decreto Nº 0115/2020. Publicado na última quarta-feira (13), o decreto estabelece horários rígidos de funcionamento para bares e restaurantes durante a pandemia do novo coronavírus.

O três estabelecimentos em questão (bares e restaurantes) nunca tinham sido autuados pela Prefeitura de Itabira. Na noite de ontem, eles extrapolaram o horário de funcionamento definido no decreto e ainda estavam funcionando depois das 22h. A prefeitura informou que, por serem primários e não oferecerem resistência, os estabelecimentos foram apenas advertidos.

Ação dos fiscais

O Valentim Empório Cervejeiro foi um dos bares abordados na noite de ontem (15). A proprietária Sofia Ribeiro Pires Lage conversou com a reportagem da DeFato e explicou como foi a abordagem da fiscalização.

“Os fiscais conferiram o espaçamento entre as mesas, verificaram o número máximo de quatro pessoas em cada mesa, o uso de máscaras, os pedais de álcool em gel, os alvarás e estava tudo em ordem. Mas, infelizmente, nós realmente fomos autuados pela questão de ultrapassar o horário”, confirma Sofia Ribeiro.

Ela reforça que a autuação foi recebida com bastante tristeza, já que o bar é reconhecido por ser um estabelecimento que se esforça para cumprir as regras relativas à pandemia. Tanto as estaduais, do Minas Consciente, quanto as municipais, bem como as que eles mesmos instituíram.

O conteúdo continua após o anúncio

Sofia Ribeiro reforçou ainda que a visita dos fiscais aconteceu por volta das 22h20 e que o bar já estava em processo de fechamento. “A gente já tinha mesas dobradas, ombrelones fechados, o som estava bem baixinho, a maioria das comandas já estavam pagas e muitas mesas já estavam vagas. Além disso, não tinha nenhum consumo dos clientes mais”.

A empreendedora detalha que a autuação foi fruto de um mau entendimento das definições do decreto. “A gente entendia que não poderíamos exercer atividade depois das 22h, ou seja vender. Então, o que fazíamos era o seguinte: por volta das 21h30, a gente encerrava os pedidos da cozinha. Assim, começávamos esse processo de fechamento do bar”.

Também fazia parte do processo iniciar a limpeza da cozinha e das mesas, o fechamento do caixa e o recebimento das comandas e a organização do espaço até que os clientes terminassem seu consumo. “Muitas vezes a gente consegue fechar, de fato, às 22h. Mas, muitas vezes não. Fizemos assim, achando que era o jeito correto”.

Sofia Ribeiro afirma ainda que os fiscais orientaram que essa não é a forma correta de cumprir o decreto. O estabelecimento precisa estar com as portas fechadas às 22h. “A gente não concorda, mas não nos cabe concordar ou discordar. Nos resta simplesmente cumprir e respeitar”.

Assim, Sofia contou que a partir desse sábado (16), o bar passa a seguir o decreto corretamente.

“Nós vamos, não só encerrar às 22h, mas realmente fechar e precisamos muito da cooperação dos clientes. A gente tenta e se esforça, mas quando cliente nos ajuda, reconhece que é importante e respeita o decreto, fica tudo mais fácil. A gente está preparado para acertar todos os dias. Nunca acordamos pensando em errar ou transgredir a lei, mas o cliente desempenha um papel fundamental nesse processo”, finaliza.

<

MAIS NOTÍCIAS