Defesa Civil estima 1.350 pessoas com mobilidade reduzida nas ZAS de Itabira

Expectativa é que cerca de 27 mil pessoas estejam envolvidas no primeiro simulado de rompimento de barragem do município, que acontece no sábado (17)

Defesa Civil estima 1.350 pessoas com mobilidade reduzida nas ZAS de Itabira
Vista área de Itabira – Foto: Siella Digital Media

Acontece no próximo sábado (17) o primeiro simulado de rompimento de barragem em Itabira. A previsão da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) é que 27 mil pessoas estejam envolvidas. Segundo órgão, aproximadamente 1.350 pessoas com mobilidade reduzida residem nas Zonas de Autossalvamento (ZAS).

O auxílio a essas pessoas será realizado pelo 4° Pelotão do Corpo de Bombeiros. Do total de pessoas envolvidas no treinamento, aproximadamente 13 mil pessoas são moradoras dos mais de cinco mil imóveis de 11 bairros que estão nas ZAS. São pessoas que estão em áreas próximas às barragens Itabiruçu, Conceição, Rio de Peixe, Sistema Pontal e Cambucal l e ll.

A Cedec chega a Itabira nesta quarta-feira (14). A primeira ação ao chegar em Itabira será a instalação do Sistema de Comando em Operações (SCO), que vai funcionar na Secretaria Municipal de Meio Ambiente. De quarta a sexta-feira, serão realizadas reuniões para levantamento e tratamento de informações, e para chancela de dados. Os encontros devem contar com a participação de membros da Defesa Civil Municipal e da Vale.

O conteúdo continua após o anúncio

Na manhã de sábado, o dia do simulado, a Cedec programou 18 reuniões em dois horários para repassar informações aos itabiranos sobre a ação preventiva. Em alguns dos pontos serão disponibilizados ônibus para levar a comunidade. Confira o quadro de atividades.

A Cedec prepara também uma estrutura com equipes multidisciplinares nos pontos de encontro. De acordo com o tenente-coronel Flávio Godinho, porta-voz da Defesa Civil Estadual, nos pontos de encontro haverá membros da Defesa Civil, enfermeiros, assistente social, psicólogos, veterinários e especialistas em fauna e flora.

Tenente-coronel Flávio Godinho, porta-voz da Defesa Civil Estadual, está à frente do simulado de Itabira- Foto: Thamires Lopes/DeFato

“Vamos montar uma estrutura para atender todo mundo”, destacou Flávio Godinho. Ainda segundo ele, os hospitais de Itabira e região foram informados sobre o simulado de emergência e leitos serão reservados.

“A gente não faz uma projeção de que vá realmente precisar de muitos leitos. Em todos os simulados que fizemos a Vale contratou ambulâncias com médicos e o atendimento foi feito no próprio ponto de encontro sem maior gravidade”, ponderou o porta-voz da Defesa Civil.

MAIS NOTÍCIAS