Empresa descarrega tijolos no meio da rua no centro de Itabira

Ação causou complicações no trânsito e a indignação dos comerciantes da Rua Água Santa

Empresa descarrega tijolos no meio da rua no centro de Itabira
Foto: Reprodução / Internet

Na manhã dessa sexta-feira (22), as pessoas que precisaram transitar pela Rua Água Santa, uma das principais vias de acesso ao Centro de Itabira, foram surpreendidas com uma cena no mínimo inusitada. Uma empresa de materiais de construção descarregou um caminhão de tijolos no meio da rua.

A ação deixou os comerciantes e moradores locais indignados, já que a rua precisou ser interditada. Dessa forma, a circulação de carros foi desviada causando transtornos aos motoristas e longos engarrafamentos nas ruas e  avenidas próximas.

Foto: Reprodução / Instagram

Muitos internautas usaram as redes sociais para demonstrar sua insatisfação.

De acordo com a Prefeitura Municipal de Itabira, a ação foi acompanhada pela Transita. Ainda não há confirmações se a pessoa responsável pela compra dos tijolos, ou a empresa que os descarregou, serão autuadas. E nem se a ação foi autorizada pelo governo local.

Empatia

A comerciante Desirê Ferreira é dona de uma lanchonete próxima ao local onde os tijolos foram descarregados. Ela explicou que desde ontem (22) vem observando o trabalho do estabelecimento responsável junto a Transita. “Não sei quais protocolos adotados, porém sei que os responsáveis se preocuparam em fazer a descarga em via pública da forma mais legal possível. E creio que estejam totalmente respaldados”, comentou.

Ela contou que foram 6 mil tijolos descarregados e que, devido a altura do veículo, não seria possível a descarga dentro do estabelecimento.

“Creio que todo progresso causa tumulto. O comércio local passa por um retrocesso em sua economia. Se um estabelecimento propõe melhorias em sua edificação, isso refletirá em novos clientes em potencial podendo ser atendidos de forma satisfatória. E se clientes são atraídos a um estabelecimento, aumenta o trânsito deles na rua, favorecendo também outros comerciantes”, ponderou.

Desirê deixa claro que compreende que a ação tenha causado transtornos, mas prega um olhar mais solidário. “O incômodo sempre haverá, mas busco ver além, e sei que isso trará muitos frutos pro comércio local. É necessário exercer sempre a empatia e se colocar no lugar do outro”, finaliza.

* Matéria em construção, aguarde atualizações

MAIS NOTÍCIAS