fbpx

Demolição de prédio atinge ônibus e deixa nove mortos; veja o vídeo

Outras oito pessoas ficaram feridas. Caso aconteceu na Coreia do Sul

Demolição de prédio atinge ônibus e deixa nove mortos; veja o vídeo
Foto: Yonhap via Reuters

Na manhã dessa quarta-feira (9), um ônibus que circulava por uma das avenidas mais movimentadas de Gwangju, na Coreia do Sul, foi atingido por escombros do desabamento de um prédio. O edifício estava em um processo de demolição. Ao menos nove pessoas morreram e oito ficaram feridas.

Gwangju fica a cerca de 270 quilômetros da capital Seul. Segundo autoridades locais, o processo de demolição estava sendo supervisionado e, até o momento, ainda não se sabe o que teria causado o colapso que levou a soterrar o ônibus.

Num vídeo, captado por câmeras de segurança, é possível ver o exato momento em que o desmoronamento do prédio atinge o ônibus. E também dá para perceber o intenso movimento de carros na via.

O que se sabe, até agora, é que o veículo transitava pela avenida quando foi atingido e encoberto pelos escombros. O corpo de bombeiros ainda trabalha no local em busca de mais sobreviventes. A Agência Nacional de Incêndios sul-coreana informou que pode haver mais pessoas, além das 17 atingidas.

 As equipes que trabalham no local informaram que, entre os sobreviventes, estava o motorista do veículo. Mas, que todos ficaram gravemente feridos. Estão sendo usadas retroescavadoras para realizar a retirada das enormes pilhas de cimento e vigas de metal retorcidas.
Durante uma entrevista coletiva, o oficial dos bombeiros, Kim Seok-sun, declarou que todos os trabalhadores das obras no prédio tinham abandonado o local antes do desmoronamento. Ele também explicou que, segundo os testemunhas deles, as ruas no entorno do prédio tinham sido interditadas para a realização da operação de demolição.

Problemas com infraestrutura

A Coreia do Sul ficou conhecida, no passado, por um histórico ruim de segurança em termos de infraestrutura. Em 1995, o desabamento de uma loja de departamentos matou mais de 500 pessoas. E, antes disso, em 1994, quando uma ponte caiu deixando 49 mortos.

Mas, o país tem tentado melhorar seu histórico de segurança nos últimos anos.

MAIS NOTÍCIAS

Política de Privacidade