Especialistas alertam para o Dia Internacional de luta contra o Câncer Infantil

Segundo o Instituto Nacional do Câncer há uma estimativa de 8.460 novos casos em 2020

Especialistas alertam para o Dia Internacional de luta contra o Câncer Infantil
O itabirano Theo, que venceu o câncer

O dia 15 de fevereiro é marcado por celebrar o Dia Internacional de luta contra o Câncer Infantil, data que visa conscientizar sobre o diagnóstico precoce dos casos na infância e adolescência. Segundo o Instituto Nacional do Câncer há uma estimativa de 8.460 novos casos em 2020.

De acordo com o Hematologista do Serviço de Oncologia Pediátrica do Hospital Márcio Cunha (HMC), Dr. Vinícius Magalhães, é importante que os profissionais da FSFX e também toda a comunidade tenham conhecimento dos sinais de alerta da doença, pois quanto mais precoce a doença for detectada, mais eficaz será o tratamento. “Crianças com histórico familiar e crianças portadoras de algumas doenças genéticas podem desencadear o câncer infantil, mas a maioria dos casos não possui relação com algum fator de risco. Os sinas e sintomas importantes que servem de alerta para a detecção precoce são: palidez, sangramento e febre sem explicações, cefaléias constantes, aumento do volume abdominal, dores ósseas, aumento de linfonodos e diminuição da acuidade visual”, afirma Dr. Vinícius.

O conteúdo continua após o anúncio

A oncologia pediátrica do HMC conta com equipe multidisciplinar (médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutrição, pedagogia, fisioterapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, dentistas e nutricionistas) capacitada para oferecer o tratamento adequado ao paciente e também em dar apoio à família, o que proporciona conforto e adesão do paciente ao tratamento.

“A Oncologia Pediátrica do Hospital Márcio Cunha atende a pacientes de 88 municípios, com população aproximada de 1,47 milhões de habitantes, por meio de convênios e do Sistema Único de Saúde. O foco assistencial é a humanização do tratamento, com o mínimo possível de intervenção na rotina de vida das crianças”, explica a Gerente da Oncologia da FSFX, Ledvânia Chaves Ribeiro.

MAIS NOTÍCIAS