Funkeiro paga fiança e ganha liberdade provisória após tentar beijar à força monlevadense

O cantor de funk, Delano Axel Silva Amaral, de 22 anos, participou de uma audiência de custódia nesta segunda-feira (17) e conseguiu liberdade provisória mediante pagamento de fiança. Ele foi preso no último sábado (15) acusado de importunar sexualmente uma fã, natural de João Monlevade. O caso aconteceu em uma casa de shows no bairro […]

Funkeiro paga fiança e ganha liberdade provisória após tentar beijar à força monlevadense
Foto: Reprodução Facebook

O cantor de funk, Delano Axel Silva Amaral, de 22 anos, participou de uma audiência de custódia nesta segunda-feira (17) e conseguiu liberdade provisória mediante pagamento de fiança. Ele foi preso no último sábado (15) acusado de importunar sexualmente uma fã, natural de João Monlevade. O caso aconteceu em uma casa de shows no bairro Estoril, em Belo Horizonte.

A decisão foi dada pela juíza Fabiana Cardoso Gomes Ferreira que considerou que o autor é réu primário, possui endereço fixo e ocupação lícita. A magistrada também levou em conta que a vítima não é menor de idade ou de pessoa com desenvolvimento mental reduzido, “condições estas que seriam capazes de apontar a existência de um crime mais grave”.

“Pelas circunstâncias da prática do crime, aliadas às circunstâncias pessoais do autuado, entendo que pode ser concedida a liberdade provisória ao mesmo. No caso, o arbitramento de fiança se mostra a medida mais adequada, servindo para manutenção do vínculo do autuado com o processo”, destacou Fabiana Ferreira.

MC Delano pagou fiança no valor de R$ 6.986, o que corresponde a sete salários mínimos. O valor foi definido com base nas condições econômicas do funkeiro, conforme apresentada pelos seus três advogados na audiência de custódia. O cantor deve manter ainda uma distância mínima de 200 metros da vítima, e está proibido de manter qualquer tipo de contato com a jovem.

O funkeiro permaneceu algemado durante a audiência, “uma vez que o espaço físico da sala culmina em extrema proximidade do preso com as autoridades presentes e, ainda, o grande fluxo de pessoas que circulam no fórum, bem como o elevado número de audiências de custódia realizadas diariamente, o que recomenda a utilização das algemas para a segurança de todos, especialmente do próprio autuado”, diz trecho da ata da audiência.