General Heleno: apreensão de celular de Bolsonaro é “inacreditável” e pode gerar “consequências imprevisíveis”

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) se manifestou após movimentação em investigações que miram o presidente no STF

General Heleno: apreensão de celular de Bolsonaro é “inacreditável” e pode gerar “consequências imprevisíveis”
General Augusto Heleno Ribeiro Pereira – Foto: Carolina Antunes/PR

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno Ribeiro Pereira, emitiu nota na tarde desta sexta-feira (22) e repudiou a possibilidade de apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro. Em postagem no twitter, o responsável pela segurança direta do chefe do Executivo afirmou que o pedido que tramita em notícias-crimes no Supremo Tribunal Federal (STF) é “inconcebível” e “até inacreditável” e que, se concretizado, “poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

A manifestação do general Heleno se dá após o ministro do STF, Celso de Mello, encaminhar para a Procuradoria-Geral da República (PGR) três notícias-crimes apresentadas por partidos políticos e parlamentares contra Bolsonaro e seu filho Carlos Bolsonaro, vereador no Rio de Janeiro. Entre as medidas solicitadas estão o depoimento do presidente e a busca e apreensão do celular dele e do filho.

Esse encaminhamento é uma praxe entre ministros do STF sempre que esse tipo de ação chega ao Supremo. A PGR é o órgão responsável por propor investigação do presidente e precisa se manifestar nesses processos. Compete ao procurador Augusto Aras, então, definir se leva adiante ou não os pedidos contidos nas notícias-crimes.

Apesar de não haver um prazo para a manifestação da PGR, o general Augusto Heleno já se adiantou para mostrar seu descontentamento com a situação. Segundo escreveu, “caso se efetivasse”, a apreensão do celular do presidente “seria uma afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder na privacidade do Presidente da República e na segurança institucional do país”.

O conteúdo continua após o anúncio

“O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”, encerra o general Heleno, em nota.

Veja a manifestação:

MAIS NOTÍCIAS