“HNSD e PMSI ainda são os grandes responsáveis no combate à pandemia”, dizem diretores

As declarações foram dadas durante o seminário “Itabira no Enfrentamento à Covid-19”, promovido pela Prefeitura e que apresentou cases de sucesso no enfrentamento à Covid-19

“HNSD e PMSI ainda são os grandes responsáveis no combate à pandemia”, dizem diretores
Foto: Divulgação/HNSD
O conteúdo continua após o anúncio


O diretor executivo do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), Alexandre Coelho, e o diretor técnico do Pronto Socorro Municipal de Itabira (PSMI), o ortopedista Thiago Maia, participaram, neste sábado (23), do seminário “Itabira no Enfrentamento à Covid-19”.

Com discursos emocionados, os diretores apresentaram as estratégias e ações que permitiram ao HNSD e ao PSMI ofertar um serviço de excelência no tratamento ao novo coronavírus — e fundamental para o controle da pandemia no Município.

O HNSD e o PSMI, conforme destacaram Alexandre Coelho e Thiago Mais, “foram de grande valor no enfrentamento à doença, assim como os seus profissionais foram de grande importância no processo”.

Alexandre Coelho apresentou depoimentos de pacientes atendidos no HNSD e destacou inúmeras ações desenvolvidas pela instituição em 2020 e 2021. De acordo com diretor executivo, a pandemia foi o momento mais difícil vivido pelo hospital em seus mais de 160 anos de existência.

Dessa forma, destacou algumas importantes ações: as parcerias estabelecidas pela instituição, com a que foi firmada com a mineradora Vale no fornecimento de insumos; o esforço das equipes de atendimento, que dobraram a jornada de trabalho nos momentos mais críticos da pandemia; dentre outras estratégias que contribuíram para que o HNSD alcançasse resultados positivos.

“Se estamos aqui hoje, em um evento cujo o objetivo é apresentar os casos de sucesso na obtenção de resultados positivos no enfrentamento à Covid-19, com toda certeza é porque temos o Hospital Nossa Senhora das Dores em nosso Município. Todos sabem da importância desta instituição para a saúde regional. Se alcançamos a marca de mais de mil pacientes curados, é porque tivemos condições estruturais e técnicas para oferecer esse serviço”, destacou Alexandre Coelho.

Outras iniciativas enumeradas pelo diretor executivo foram: aumento de leitos na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no ápice da pandemia; reforço na equipe médica e técnica; e ampliação do número de atendimentos em enfermarias e no Pronto Atendimento (PA).

O trabalho foi intenso, recordou Alexandre Coelho: “não esperávamos a pandemia, mas a experiência de nossa equipe médica e administrativa foi o que nos credenciou para alcançarmos bons resultados, contribuindo não só para a saúde itabirana, quanto regional”, disse.

"HNSD e PMSI ainda são os grandes responsáveis no combate à pandemia", dizem diretores
O diretor executivo do HNSD, Alexandre Coelho, falou sobre as estratégias do hospital no enfrentamento à Covid-19. – Foto: Divulgação/HNSD

Pronto Socorro

O ortopedista Thiago Maia relembrou que o PSMI foi um reforço no enfrentamento ao novo coronavírus na cidade. Segundo ele, nos momentos mais críticos, a unidade chegou a ter mais de 80% de seu atendimento dedicado à ala Covid-19. Ele também destacou o empenho dos profissionais da instituição, sobretudo nos períodos de maior incidência de casos e de internações.

“Quero destacar e aproveitar para agradecer o empenho de muitos colegas que trabalharam até de forma voluntária em alguns momentos para combatermos a doença. A equipe ficou bem motivada a ajudar a população, sem dúvidas isso foi um dos fatores que contribuiu para alcançarmos alguns resultados”, destacou o médico.

Thiago Maia também apresentou as mudanças realizadas no PSMI para o enfrentamento da doença, como a instalação de containers que se transformaram em alas de atendimento; às mudanças dos consultórios e dos fluxos de atendimento; e o aumento da equipe de médicos, enfermeiros e fisioterapeutas.

“Temos que lembrar que ainda não saímos da pandemia. Apesar da queda nos números, não temos motivos para comemorar. Precisamos continuar com os serviços de excelência, mantendo o atendimento médico e de urgência, para que possamos ter bons indicadores. Como diretor técnico do Pronto Socorro, quero agradecer o apoio recebido neste momento difícil e dizer que nosso trabalho em prestar um bom atendimento à população continua. Temos ainda muito o que fazer”, afirmou Thiago Maia.

"HNSD e PMSI ainda são os grandes responsáveis no combate à pandemia", dizem diretores
Thiago Maia, médico ortopedista e diretor do Pronto Socorro, explicou o processo de adequação da unidade para apoiar o atendimento aos pacientes Covid-19. – Foto: Divulgação/HNSD

Itabira no Enfrentamento à Covid-19

A Prefeitura de Itabira, em parceria com a Vale, Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) e HNSD, promoveu, na sexta-feira (22) e sábado, no Teatro da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), um seminário com a apresentação sobre o case de sucesso no enfrentamento à Covid-19 no município. A programação teve palestras e discussões sobre todo o trabalho desenvolvido em Itabira para combater a doença, inclusive o de reestruturação de alguns serviços de saúde. O encontro marcou, ainda, o encerramento das atividades da Unidade Móvel de Saúde do projeto “#Unindo Forças”.

A abertura do evento aconteceu na tarde de sexta-feira e contou com a presença do prefeito Marco Antônio Lage (PSB), do vice-prefeito Marco Antônio Gomes (PL), representantes das entidades parceiras, prefeitos e secretários de Saúde de cidades vizinhas, vereadores, secretários municipais e equipes de saúde.

“Esse seminário nos faz refletir sobre o que aprendemos com tudo isso, qual os próximos passos que precisamos dar, o que essa pandemia nos deixa de lição e o que temos que fazer daqui para a frente. Como nos preparar melhor para enfrentar situações como essa? Isso é o mais importante nesse momento, até mesmo porque a pandemia não acabou. A vacina está se mostrando eficaz, mas temos que nos manter alertas e preparados. Temos que pensar e debater muito sobre esse assunto. Por isso esse encontro é muito oportuno e temos que fazer isso mais vezes. Agradeço muito a todos os profissionais da saúde e os parceiros que nos apoiaram nessa luta contra a Covid-19”, disse Marco Antônio Lage.

A secretária municipal de Saúde, Luciana Sampaio, também avaliou a importância do evento.

“Estamos mostrando as boas práticas da gestão municipal perante o enfrentamento da pandemia. Estamos aqui para compartilhar informações e fazer um retrospecto de como começou a pandemia, as questões que foram tratadas e as ações tomadas a partir deste ano diante do colapso assistencial que enfrentamos aqui em Itabira, especialmente no mês de março. Vamos mostrar também como saímos dessa situação, com ferramentas e ações de gestão. Hoje já estamos há seis semanas na onda verde do protocolo Minas Consciente. Assim, consideramos tudo isso um case de sucesso e queremos compartilhar com a microrregião assistencial de Itabira o trabalho que foi feito”, explicou Luciana Sampaio.

Já o vice-prefeito Marco Antônio Gomes ressaltou o trabalho dos profissionais da saúde em Itabira. “Trazer o conhecimento de tudo aquilo que passamos e as medidas a serem tomadas daqui pra sempre são muito importantes. A programação do seminário está dinâmica e objetiva. Parabenizo a Secretaria de Saúde e a toda a equipe que trabalhou incessantemente para esse resultado”.

Entenda

Itabira está enfrentando a pandemia de Covid-19 seguindo os protocolos desenvolvidos pelo Governo de Minas Gerais (Plano Minas Consciente) e pelo Governo Federal, além das ações elaboradas pela Secretaria Municipal de Saúde.

Além das unidades de saúde da cidade, esse trabalho contou com o apoio da carreta-tomógrafo, na área central (onde funcionava a sede do Corpo de Bombeiros), em julho deste ano.

Resultado da parceria inédita entre a Prefeitura, Vale, Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein e Mercedes-Benz do Brasil, a Unidade Móvel de Saúde do projeto “#Unindo Forças” foi responsável por atender, gratuitamente, até 30 pacientes por dia, com serviços de tomografia computadorizada, gasometria arterial, três consultórios de teleatendimento médico e coleta de material para teste rápido de diagnóstico da Covid-19.

Itabira foi a primeira cidade no país a receber esse serviço. O Instituto Albert Einstein disponibilizou uma equipe composta por dez profissionais, entre médicos, biomédicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e técnicos administrativos, por 90 dias.

* Com informações do HNSD e da Prefeitura de Itabira.

MAIS NOTÍCIAS