Identificado: polícia divulga nome do autor de chacina em creche

Assassino usou uma espada para matar três crianças e duas professoras

Identificado: polícia divulga nome do autor de chacina em creche
Uma das armas usadas no crime. Foto: Polícia Civil de Chapecó

A Polícia Civil de Santa Catarina confirmou a identidade do autor do ataque a uma creche, na manhã desta terça-feira (4), em Saudades, no oeste do estado. O jovem Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, é o responsável pelo assassinato de duas professoras e três crianças. Após tentativa de suicídio, o rapaz segue internado em estado grave.

De acordo com o delegado Jerônimo Marçal Ferreira, Fabiano Kipper Mai invadiu a creche Aquarela e feriu uma professora na entrada da unidade. Ela teria corrido para uma sala onde estavam quatro crianças, todas menores de dois anos. Fabiano atacou todas elas. Além deles, o suspeito atacou mais uma professora que estava no local.

Vizinhos ouviram os gritos desesperados das pessoas que estavam na creche e invadiram o local. Eles chegaram a contar Fabiano Kipper, mas o jovem desferiu golpes contra si mesmo.

Investigações

Na casa do suspeito, a polícia encontrou um computador, as embalagens de uma espada e um faca utilizadas no crime. “É um facão sofisticado, quase parece uma espada, e bem pontudo. Ele estava com uma faca menor, também sofisticada. Algumas pessoas relataram tiros, mas eram artefatos explosivos, bombinhas pequenas para fazer barulho”, detalhou o delegado.

Também foram encontrados R$ 11 mil em espécie. Conforme o relato dos pais à polícia, ele trabalhava e o valor estava sendo guardado. Fabiano Kipper morava com os pais, uma irmã e a avó e não costumava sair.

“Ele era muito introspectivo, não tinha muitos amigos e os que tinha se afastaram nas últimas semanas. O rapaz dormia na mesma cama que o pai. O pai falou que ele tinha medo de dormir sozinho. Ele também judiava dos bichinhos da casa, mas nada grave, segundo o pai. O jovem também sofreu bullying na escola”, disse o delegado.

Estado gravíssimo

Fabiano Kipper Mai passou por atendimento em dois hospitais em cidades vizinhas a Saudades. Ambos precisaram ser isolados para atender o jovem e evitar manifestações. No hospital Beneficente de Pinhalzinho, uma escolta da Polícia Militar foi formada no fim da manhã. Segundo o diretor da unidade de saúde, Silvio Mocelin, após a informação de que o homem foi levado ao local para receber tratamento, moradores se aglomeraram e protestaram em frente ao hospital.

Devido ao estado grave de saúde de Fabiano, ele foi transferido para Chapecó. Por volta das 17h, o jovem passava por cirurgia e não tinha sido ouvido pela polícia. No hospital, em Chapecó, também há escola policial reforçada, segundo o delegado responsável pelo caso.

MAIS NOTÍCIAS