Instituto de Meteorologia emite alerta de chuvas intensas para Itabira e região

Alerta laranja emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia prevê tempestade com até 100 milímetros de chuva

Instituto de Meteorologia emite alerta de chuvas intensas para Itabira e região
Itabira – Em vista das chuvas é previsto cenários de riscos geohidrológicos. – Foto: Thamires Lopes/DeFato

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou nesta sexta-feira (28) um alerta de chuvas intensas para Itabira e região. O alerta laranja prevê chuvas entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia; ventos intensos, entre 60 e 100 km/h. O alerta vale até a manhã de sábado (29)  e, além de Itabira, compreende as cidades de Barão de Cocais, João Monlevade, Nova Era, São Gonçalo do Rio Abaixo e Santa Bárbara.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo o Inmet, diante das chuvas intensas há risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas. O órgão orienta à população que em caso de rajadas de vento não se abrigue debaixo de árvores. Também não se deve estacionar os veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. O uso de aparelhos eletrônicos ligados à tomada também deve ser evitado. Em caso de emergência a Defesa Civil (telefone 199) e o Corpo de Bombeiros (telefone 193) devem ser acionados.

O Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), com base nos documentos oficiais emitidos pelas Agências Federais de monitoramento de tempo e de riscos geo-hidrológicos, também emitu o alerta para chuvas intensas e altos acumulados de precipitação.

Em vista das chuvas intensas e cenários esperados de riscos geohidrológicos, e ao status deste alerta, o Cenad recomenda:

  • Compartilhar e consolidar as previsões com os órgãos estaduais/locais de previsão e monitoramento de clima/tempo;
  • Informar oficialmente as autoridades e demais instituições membros do Sistema Estadual de Proteção e Defesa Civil, os dados resultantes da análise dos órgãos locais de monitoramento;
  • Emitir para a população vulnerável os alertas que julgar necessários, dando informações/orientações sobre os eventos identificados;
  • Utilizar para a emissão dos alertas as ferramentas oficiais disponíveis (SMS e TV por assinatura), e outras mídias de uso estratégico do Estado e/ou municípios;
  • Acompanhar a atualização de alertas e avisos das agências de monitoramento oficiais, principalmente, aqueles voltados ao monitoramento em tempo real (nowcasting) dos riscos.

MAIS NOTÍCIAS