Itabirano denuncia tentativa de golpe via WhatsApp clonado 

Segundo apurado pela Polícia Civil, proprietário do número de telefone é de Ipatinga e teve a conta de WhatsApp clonada por criminosos

Itabirano denuncia tentativa de golpe via WhatsApp clonado 
Itabirano quase perde dinheiro ao cair no golpe do WhatsApp clonado 

Golpistas estão sempre procurando novas modalidades para enganar e conseguir extorquir dinheiro e dados pessoais de vítimas. Desta vez, o golpe mais comum está sendo realizado pelo WhatsApp, aplicativo com mais de um bilhão de usuários espalhados por 180 países. Em Itabira, um usuário do aplicativo foi abordado para repassar R$1.120 a um contato desconhecido, que pedia o depósito em conta bancária.

O número que fez a solicitação do depósito pertence a uma pessoa de Ipatinga, que teve o seu contato clonado por golpistas nessa terça-feira (18). De acordo com o proprietário do número de telefone, após anunciar um veículo no site de compras OLX, um número com o DDD de São Paulo o ligou para confirmar os dados a respeito do anúncio. Assim, depois da confirmação, a vítima não conseguiu mais ter acesso ao WhatsApp e o seu número começou a ser utilizado para abordar contatos da agenda pessoal para pedir dinheiro. Caso semelhante já foi registrado por um advogado de Itabira.

De acordo com um levantamento realizado pela empresa PSafe, pelo menos 8,5 milhões de brasileiros já tiveram o aplicativo clonado. Isso representa cerca de 23 novas vítimas diariamente. Entre os principais danos sofridos estão o vazamento de conversas privadas como o principal prejuízo da clonagem (26,7%); envio de links com golpes para outros contatos (26,6%); solicitações de dinheiro aos amigos (18,2%), perda da conta (18,0%); e chantagem (10,5%).

No caso da ocorrência que teve o itabirano como alvo, os desgastes ainda estão sendo calculados. O proprietário do telefone, do Vale do Aço, precisou alterar todas as senhas salvas no celular, além de entrar em contato com a agência responsável pela sua conta bancária, que também estava salva no celular. O contato foi necessário para verificar e investigar qual seria a agência que estaria recebendo os depósitos. Por sorte, parentes e amigos do titular do número perceberam a abordagem suspeita e não fizeram os depósitos. O itabirano que fez a denúncia também não. Ambos fizeram o boletim de ocorrência na Polícia Civil.

Como o golpe é aplicado

O golpe pode ter variações, mas a grande maioria dos casos acontece nesse padrão, segundo a Polícia Civil:

1) A vítima divulga o seu telefone para a venda de produtos em sites de comércio eletrônico, como OLX e Mercado Livre;

2) O golpista envia uma mensagem ou liga, se passando por funcionário do próprio site de vendas e solicita a atualização de dados cadastrais ou oferece algum serviço gratuitamente;

3) Neste momento, o golpista pede à vítima que forneça um código de seis dígitos enviado por SMS ao seu celular;

4) Após o código ser informado, o golpista consegue acessar a conta do WhatsApp da vítima e se passar por ela para pedir dinheiro emprestado aos contatos. Geralmente, o golpista usa a história de que precisaria fazer uma transferência para determinada conta, mas não estaria conseguindo por algum tipo de erro no aplicativo bancário e por isso, precisaria da ajuda desse contato. A promessa é que mais tarde devolveria o dinheiro emprestado.

O conteúdo continua após o anúncio

Por se tratar de amigos e famílias, muitas pessoas acabam fazendo a transferência sem qualquer questionamento. A vítima só acaba sabendo do golpe após ser avisada pelos contatos que depositaram o dinheiro pedido.

Confira o registro encaminhado pelo itabirano da conversa com os golpistas. 

O que fazer?

Caso você tenha sido vítima desse golpe, o primeiro passo é registrar ocorrência policial na delegacia e avisar aos amigos e familiares para que não façam nenhum tipo de depósito ou forneça informações.

Após ter feito isso, é hora de bloquear o seu WhatsApp para que os invasores não consigam mais acessá-lo. Você pode fazer isso enviando um e-mail para [email protected] No assunto do e-mail escreva: “perdido/roubado: por favor desative minha conta” e coloque no corpo do texto o número de telefone no formato internacional: +55 DDD NÚMERO. A empresa do WhatsApp irá desativar a conta da vítima, que só poderá ser utilizada após sete dias.

Há casos também em que o golpista ativa a opção de “confirmação em duas etapas”, uma maneira de dificultar a retomada da conta pela vítima. Reinstale o aplicativo no celular e digite erroneamente códigos sucessivos até bloquear a conta. Após determinado período, o titular receberá um novo SMS.

Dicas de como evitar o golpe

Para evitar que você passe por isso, o WhatsApp disponibiliza uma ferramenta que permite você cadastrar uma senha de verificação para a sua conta. Todas as vezes que um novo dispositivo registrar o seu número, esta senha é solicitada. Para ativar, você deve ir até as configurações do aplicativo e na área de “conta”, selecionar a opção de “confirmação em duas etapas” e escolher uma senha. Não coloque senhas óbvias, como o número do CPF ou a data de nascimento.

Outra recomendação importante é estar atento ao receber códigos enviados por SMS. Caso você receba, não repasse a ninguém e nem qualquer outra informação sem antes confirmar com o setor responsável das empresas que solicitaram por meio de seus canais oficiais de atendimento.

Fique atento às mensagens recebidas de seus amigos: desconfie de “jeitos” incomuns deles se comunicarem ou pedidos feitos inesperadamente e dados conflitantes.

MAIS NOTÍCIAS