Itabirano encarou os desafios e investiu em nova profissão

Mário Martins usou o grafitismo como inspiração para virar arquiteto

Itabirano encarou os desafios e investiu em nova profissão
Foto: Arquivo Pessoal
O conteúdo continua após o anúncio


É admirável a coragem de algumas pessoas. Como aquelas que não temem encarar os desafios. O itabirano Mário Martins Silva, com 37 anos, é uma dessas. Deu uma reviravolta em sua vida, arriscou e mudou de profissão!

O gosto pelo grafitismo

Desde criança, Mário já tinha o lado artístico aflorado. Adorava tudo relacionado às artes. Ele conta que sempre se interessou por desenhos e, ainda na adolescência, descobriu uma revista especializada em grafite. “Foi assim que eu comecei a fazer os meus primeiros rabiscos”, relembra.

O interesse pelo grafitismo foi aumentando, assim ele começou a estudar e se aprofundar no assunto. Dessa maneira, aos 16 anos, começou a fazer seus primeiros grafites, na casa em que morava com seus pais. Cada dia mais foi aprimorando seus conhecimentos.

“Na época era muito difícil porque não tinha ninguém para me mostrar como era feito. Sempre tive que correr atrás. Tinha até umas pessoas que faziam, há mais tempo, mas eram um pouco inacessíveis”, conta.

Mas, Mário não desistiu! Ele investiu no grafite como sua profissão, mas era o suficiente para manter sua renda. “Tinha que trabalhar em outros serviços. Mesmo assim, fiquei mais de cinco anos trabalhando diretamente com o grafite”, detalha.

Realizando sonhos

Ainda assim, viver apenas do grafite, infelizmente, continuava sendo difícil. Afinal de contas, Mário queria sua independência financeira! Então, decidiu fazer um curso superior em arquitetura. Para ele, foi uma alegria muito grande ao ingressar na Faculdade Pitágoras Ipatinga. Por isso, foi um aluno exemplar! Suas habilidades em desenhos foram fundamentais para a facilidade no aprendizado e desempenho da futura profissão.

“Ficava pensando que, com o conhecimento do grafite, eu poderia usar as cores, formas e os detalhes artísticos na arquitetura. E com isso, tive a certeza da minha profissão. Inclusive, na faculdade, fiz vários trabalhos utilizando o grafite”, relata Mário.

Com o passar do tempo, uma surpresa aconteceu! No quinto período, ele foi convidado a dar aula de grafite na faculdade. “Ensinei muita gente e grafitamos em alguns lugares dentro da faculdade. Tem desenhos nossos lá, até hoje”, lembra com orgulho.

Sonhos realizados

Mário Martins concluiu a faculdade de arquitetura em dezembro de 2020 e já está trabalhando na área. Ele integra a equipe da Ecolabore Engenharia e atribui a contratação à sua história como grafiteiro. Inicialmente, foi chamado para desenvolver um trabalho específico, com desenho digital. O ótimo desempenho garantiu a permanência na equipe.

Hoje, ele se diz realizado profissionalmente. “Como profissional a gente vive cada momento de uma vez. Estou muito feliz com o que estou desenvolvendo, pois é uma coisa que eu tinha planejado mesmo antes de entrar na faculdade”, celebra.

Às vezes, ele ainda faz alguns trabalhos de grafite, voltados para projetos sociais em Itabira, e reforça que não quer deixar de lado.

“Eu quero mostrar que é possível evoluir as habilidades e encontrar possibilidades de crescimento. Hoje, tenho a capacidade de ensinar o que sei para pessoas que também querem seguir o mesmo caminho”.

Entre os planos para o futuro, Mário conta do desejo de dar aulas. “Ainda tenho vontade de dar aulas em um projeto social. Quero mostrar para as pessoas que elas podem realizar seus sonhos. É preciso apenas acreditar que tudo é possível”.

Confira a galeria com alguns dos trabalhos de grafite do Mário Martins.

Galeria de Fotos

MAIS NOTÍCIAS