Luta contra o câncer: Bruno Covas é intubado por sangramento no estômago

Prefeito de São Paulo foi internado no domingo (2), após sentir efeitos adversos do tratamento contra o câncer

Luta contra o câncer: Bruno Covas é intubado por sangramento no estômago

Estado de saúde do prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), inspira cuidados. Ele foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio-Libanês e intubado após a descoberta de um sangramento no estômago. A transferência para a UTI aconteceu na manhã desta segunda-feira (3) e foi decidida após um exame de endoscopia.

O exame detectou um sangramento causado por uma úlcera em cima do tumor original. Agora, as sessões de quimioterapia e imunoterapia que seriam realizadas nesta segunda (3) foram suspensas e não devem acontecer nos próximos dias. Esse tipo de sangramento faz parte de um quadro de tratamento pelo qual o prefeito passa atualmente.

Por causa dos efeitos colaterais do tratamento contra o câncer, Bruno Covas anunciou um pedido de afastamento do cargo de prefeito de São Paulo por 30 dias. O médico David Uip, que integra a equipe que trata do política, afirmou que ele teve náuseas e vômitos no fim de semana. “Aumentaram o número de tumores no fígado e em outros lugares. E apareceram em dois outros locais também: na bacia e na coluna”, disse Uip.

A licença de Bruno Covas foi anunciada em comunicado publicado nas redes sociais neste domingo (2).

“Nesse momento, com muita força e foco que preciso colocar na minha saúde, fica incompatível o exercício responsável de minhas funções como Prefeito de São Paulo, por isso, vou solicitar à Câmara de Vereadores uma licença do cargo pelo período de 30 dias, para me dedicar integralmente à minha recuperação”, disse Covas.

Com a decisão, o vice-prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB), assumiu a gestão da cidade nesta segunda.

Luta contra o câncer

O prefeito licenciado foi internado pela primeira vez em outubro de 2019, quando chegou ao hospital com um infecção que evoluiu para trombose venosa profunda (coágulos) na perna direita. Durante os exames para localizar os coágulos, médicos detectaram o câncer na cárdia, região entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado e nos linfonodos.

Em janeiro de 2021, após ser reeleito, Covas anunciou uma nova fase de procedimentos no combate à doença. Ele tirou uma licença de 10 dias, quando passou a ser submetido a sessões de radioterapia. Na época, estavam previstas 24 sessões de radioterapia complementares para o tratamento. Em abril deste ano, exames apontaram novos pontos de câncer nos ossos e no fígado.

MAIS NOTÍCIAS