Minério de ferro atinge recorde na China

Os contratos futuros de minério de ferro na China saltaram para um novo recorde nesta segunda-feira (1), ampliando um rali impulsionado pela restrição na oferta da commodity, assim como pelas expectativas de alta nos preços do aço aumentará a demanda pela matéria-prima. Os contratos futuros do aço subiram, com o vergalhão para construção registrando seu […]

Minério de ferro atinge recorde na China
||

Os contratos futuros de minério de ferro na China saltaram para um novo recorde nesta segunda-feira (1), ampliando um rali impulsionado pela restrição na oferta da commodity, assim como pelas expectativas de alta nos preços do aço aumentará a demanda pela matéria-prima.

Os contratos futuros do aço subiram, com o vergalhão para construção registrando seu mais longo rali desde meados de 2017, iniciada em 19 de junho, em meio à intensificação das restrições de produção para conter a poluição nos centros industriais da China.

O contrato de minério de ferro mais ativo, com vencimento em setembro, na Dalian Commodity Exchange (DCE) subiu 4,9%, para 874,5 iuanes (US$ 127,94) a tonelada, o maior valor registrado no benchmark lançado em 2013. Fechou em alta de 4,7%, para 873 iuanes. O valor leva em consideração a média dos preços negociados no dia.

A matéria-prima da siderurgia teve seu maior ganho trimestral desde o fim de 2016, no período de abril a junho, impulsionado pelas expectativas de que a oferta da Vale, maior produtora de aço do mundo, continuará apertada no segundo semestre.

“Permanecemos pessimistas em nossa avaliação geral das condições de fornecimento de curto prazo”, disse Hui Heng Tan, analista de pesquisa da corretora de commodities Marex Spectron. “Enquanto continuamos a esperar influxos maiores (de minério de ferro) para a China no curto prazo, há sinais precoces de alguma contração se desenvolvendo, de acordo com nosso indicador de fornecimento futuro”, disse Tan em nota.

O minério de ferro estocado nos portos da China atingiu o nível mais baixo desde o início de 2017, principalmente devido à redução da oferta do Brasil, onde o rompimento de uma barragem de rejeitos em janeiro provocou paralisações nas minas da Vale para verificações de segurança.

A oferta mais baixa da Austrália, causada por problemas operacionais e o mau tempo que levaram as mineradoras a reduzir suas estimativas de produção e embarque, reforça as expectativas de uma escassez global de minério de ferro que alguns analistas dizem que pode durar até 2020.

Desde a última sexta-feira, o estoque de portos na China ficou em 115,25 milhões de toneladas, caindo constantemente em relação ao pico de quase 149 milhões de toneladas em meados de abril, segundo dados da consultoria HomeSteel.

“Continuamos otimistas em relação à demanda de curto prazo [pelo minério de ferro]”, disse Tan, da Marex Spectron. “Parte da razão para essa mais recente recuperação se deve às baixas taxas de aço que estão ajudando a suportar os preços do aço em geral”, acrescentou.

O preço à vista do minério de ferro ficou em US$ 118,20 a tonelada em 28 de junho, perto de um pico de cinco anos, segundo dados da SteelHome.

O contrato de vergalhão mais ativo de outubro na Bolsa de Futuros de Xangai subiu 1,6% para 4.107 iuanes por tonelada. Atingiu 4.148 iuanes no início do dia, a maior cotação desde fevereiro de 2011.

A bobina laminada a quente (BQ), aço usado em veículos e eletrodomésticos, atingiu o recorde de 4.049 iuanes por tonelada, antes de encerrar com alta de 1,2%, cotado a 3.983 iuanes.

Os preços do aço foram largamente sustentadas este ano pelas expectativas de aumento na demanda, à medida que a China lança medidas de estímulo para sustentar sua economia em desaceleração, e ainda mais impulsionada pelas restrições de produção nos polos de aço atingidos pela poluição.

A China vai ordenar que os governos locais aumentem o limite para aprovação de novos projetos industriais e limitem o número de fábricas poluidoras em regiões onde as condições ambientais já estão saturadas, disse uma autoridade ambientalista nesta sexta-feira.

Fornecendo um cenário positivo, os Estados Unidos e a China concordaram neste sábado em reiniciar as negociações comerciais, dando alívio aos mercados financeiros depois de serem abalados pela disputa comercial de um mês entre as duas maiores economias.

Outros insumos siderúrgicos também avançaram, com o carvão metalúrgico aumentando 1,1%, para 1.404 iuanes por tonelada. O coque subiu 3,1% para 2.130,5 iuanes. As informações são da Reuters.