Nova greve dos caminhoneiros está marcada para quarta-feira, 19

A greve dos caminhoneiros é um protesto contra a suspensão do julgamento sobre a constitucionalidade da tabela de frete pelo STF, que ocorreria na quarta-feira

Nova greve dos caminhoneiros está marcada para quarta-feira, 19
A paralisação, se ocorrer, será das 6h às 18h – Foto: Divulgação

Uma nova greve dos caminhoneiros poderá acontecer na próxima quarta-feira (19). A paralisação, se ocorrer, será das 6h às 18h. A informação é do presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Walace Landim. De acordo com o sindicalista, conhecido como Chorão, os motoristas estão sendo orientados a não criarem bloqueios nas rodovias.

A paralisação dos caminhoneiros já estava marcada. A ideia inicial era permitir que a categoria pudesse acompanhar a votação que ocorreria no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a constitucionalidade da tabela do frete. Mas a votação foi suspensa a pedido da Advocacia Geral da União (AGU).

Uma reunião de conciliação foi agendada para o dia 10 de março pelo Ministro do STF, Luiz Fux. O adiamento da votação desagradou os caminhoneiros, que decidiram manter a paralisação em protesto. “A categoria vai parar na quarta-feira em resposta ao descaso do ministro (Fux), afirma Chorão.

O sindicalista afirma que Fux não indicou quando o assunto voltará à pauta do Supremo. Trata-se do segundo pedido de adiamento de votação do tema feito pelo governo. Segundo integrantes da equipe do Palácio do Planalto, há diálogo permanente com a categoria. O risco de uma nova greve seria nulo.

O conteúdo continua após o anúncio

Justiça proíbe greve dos caminhoneiros em Santos

Um grupo de motoristas autônomos fez uma paralisação nas imediações do porto de Santos, no litoral paulista. Mas as operações já foram normalizadas, sem bloqueio de vias.

Ontem (16), a Justiça proibiu que houvesse greve dos caminhoneiros no porto de Santos. A decisão, em caráter liminar, atende o pedido da Companhia Docas do Estado de São Paulo. Em um vídeo divulgado em redes sociais, caminhoneiros indicavam que bloqueariam o porto. Mas os bloqueios duraram pouco tempo.

Na liminar, expedida pelo juiz Roberto da Silva Oliveira, as manifestações foram vetadas, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 200 mil. Os caminhoneiros estão impedidos de bloquear os acessos ao porto entre os dias 17 e 21 de fevereiro.

“Além disso, há uma operação previamente agendada, no mesmo período de tempo, para se evitar a proliferação do coronavírus, com possível contágio de tripulantes em navio que atracou em portos chineses”, diz o magistrado. “Portanto, não é desejável bloqueios que inviabilizam as medidas sanitárias que estão sendo tomadas”, acrescenta o juiz.

(Conteúdo Estadão)

MAIS NOTÍCIAS