Ouro Preto é destaque no Mapa do Turismo Brasileiro

A classificação coloca a cidade como prioridade na aquisição de recursos para projetos junto ao Ministério do Turismo

Ouro Preto é destaque no Mapa do Turismo Brasileiro
Ouro Preto mantém destaque junto ao turismo brasileiro – Foto: Ane Souz/PMOP

A cidade de Ouro Preto manteve seu destaque no Mapa do Turismo Brasileiro, atualizado a cada dois anos pelo Ministério do Turismo. Esse mapa avalia as cidades brasileiras que adotam o turismo como estratégia de desenvolvimento. Em 2017, Ouro Preto sobressaiu como o único município do Circuito do Ouro contemplado na categoria “B”. Desta vez, em 2019, a cidade mantém a classificação “B”. Isso quer dizer que a cidade oferece melhor infraestrutura turística e concentra o fluxo de turistas domésticos e internacionais.

O Ministério do Turismo utiliza o Mapa do Turismo Brasileiro como uma ferramenta que orienta o desenvolvimento de políticas públicas, descentralizando a gestão, a estruturação e a promoção do turismo. Por isso, o mapa é feito de forma conjunta com os órgãos oficiais de turismo nos estados e municípios. Isso possibilita o direcionamento mais eficaz das políticas do setor, com investimentos mais adequados à realidade de cada região.

Critérios adotados

O conteúdo continua após o anúncio
Estrutura turística do município foi determinante para a classificação – Foto: Divulgação

Vários critérios são levados em conta para classificar as regiões turísticas e cada município, como: possuir legislação e um órgão responsável pela pasta de turismo, ter um Conselho Municipal de Turismo ativo, possuir prestadores de serviços turísticos registrados no Cadastur, entre outros itens. A partir dessa avaliação, as cidades são classificadas nas categorias “A”, “B”, “C”, “D” ou “E”.

Para aqueles municípios que recebem classificação nas categorias “A”, “B” e “C”, significa que eles atendem grande parte dos critérios do Ministério do Turismo e, além disso, têm uma margem de 95% dos empregos formais em meios de hospedagem, 87% dos estabelecimentos formais de meios de hospedagem, 93% de fluxo doméstico e também possuem fluxo internacional.

O secretário de Turismo, Indústria e Comércio, e atual presidente da Associação do Circuito Turístico do Ouro, Felipe Guerra comemorou a classificação de Ouro Preto e de outras cidades históricas e do circuito do ouro. Ele explicou que a classificação “A” exige alguns elementos de infraestrutura que cidades históricas raramente possuem, como aeroportos. “Assim, podemos dizer que chegamos praticamente no conceito máximo no Mapa do Turismo Brasileiro. Isso é muito importante porque coloca Ouro Preto e essas outras cidades como a prioridade na aquisição de recursos para projetos junto ao Ministério do Turismo”, esclareceu.

MAIS NOTÍCIAS