Pais temem segurança dos filhos em escola realocada pela Vale em Barão

A instituição, que estava na rota da lama, foi levada para um outro prédio do município no dia 25 de março

Pais temem segurança dos filhos em escola realocada pela Vale em Barão
O prédio recebe provisoriamente os alunos do ensino infantil

A estrutura atual oferecida pela Escola Municipal Coronel Câncio, em Barão de Cocais, localizada a 90 km da capital mineira, tem preocupado os pais dos alunos do ensino infantil. Sem um local coberto adequado para a realização de atividades físicas e a segurança da área restrita acercas de arame e a um portão sem trava, as crianças estão há praticamente cinco meses em um prédio improvisado pela prefeitura.

A antiga sede da instituição estava na rota da lama e, por isso foi realocada pelo município com o apoio da Vale, no dia 25 de março. Isso aconteceu três dias depois de a barragem Sul Superior da Mina de Gongo Soco passar para o nível 3 de alerta, com risco iminente de rompimento. A mineradora, na época, assumiu que arcaria com as despesas para a adaptação do novo local, mas até o momento apenas duas pequenas intervenções foram realizadas.

O prédio original da escola foi desativado no dia 25 de março

Mãe de um estudante de 4 anos, Aline Rodrigues conta que o prédio em que funcionava a escola antes da mudança, apesar de estar na considerada zona secundária de risco, possuía um ótima estrutura para o ensino infantil.

O conteúdo continua após o anúncio

“Matriculei meu filho lá [Coronel Câncio] por ser uma escola somente infantil e por tem boa estrutura. Lá tem quadra coberta, o local de entrada também é coberto, banheiros adaptados, pátio com brinquedos educativos, pinturas no solo, muros altos e portões seguros”, disse.

Em nota enviada à DeFato Online, a Vale informou que a escolha do local para o funcionamento provisório da Escola Municipal Coronel Câncio foi feita em conjunto com a prefeitura. 

“Várias ações de adequações foram realizadas no local para atender às necessidades da comunidade escolar, como adaptações e reformas das salas, banheiros, piso, aquisição de mobiliários, entre outras. A Vale avalia uma alternativa de cobertura imediata e temporária. A empresa vem mantendo interlocução permanente com as pessoas evacuadas e se esforça para entender as demandas apresentadas e resolvê-las de forma célere, sempre em comum acordo com todas as partes interessadas”. 

A Prefeitura Municipal de Barão de Cocais foi procurada, mas não se manifestou sobre o caso.

MAIS NOTÍCIAS