Para 2021, Anglo American almeja produção até 5% maior que em 2020

Alta do minério é tida como ponto positivo, já que ela bateu na casa dos U$170,00

Para 2021, Anglo American almeja produção até 5% maior que em 2020
Foto: Divulgação

Durante uma coletiva de imprensa, realizada nesta terça-feira (12), o CEO da Anglo American Wilfred Bruijn falou sobre planos, projetos e expectativas para o ano de 2021. No Brasil desde 1973, a empresa tem atuado fortemente na região de Conceição do Mato Dentro, com a operação do Minas-Rio. 

Alinhada ao seu propósito de “re-imaginar” a mineração para melhorar a vida das pessoas, a Anglo American vem desenvolvendo projetos em vários âmbitos das comunidades em que se insere. Durante a coletiva que reuniu jornalistas de variados veículos regionais, Wilfred Bruijn destacou que a Anglo almeja uma produção até 5% maior que a do ano passado.

“2020 nos trouxe resultados positivos, visto que ficamos quase quatro semanas sem produzir no mineroduto. Porém, não podemos esquecer de que ainda estamos no início do ano. As expectativas são boas, até devido a cotação do minério no início deste ano, em relação a 2020”, ponderou o CEO da Anglo American. 

O conteúdo continua após o anúncio

Em janeiro de 2020, a cotação do minério era de US $80,00, um valor que diminuiu logo no início da pandemia devido aos sustos e as incertezas deixadas no ar pelo novo coronavírus. Entretanto, no último trimestre do ano passado, a alta do recurso mineral chegou a atingir US $140,00.

“Conforme o tempo foi passando e nós fomos entendendo o que era a pandemia, a situação foi se equilibrando. A última cotação do minério, por exemplo, foi de US $170,00. Um resultado muito bom. Mas nós precisamos ponderar que preço e câmbio são elementos que não podemos controlar”, destacou o CEO.

Investimentos nas comunidades

O diretor de Assuntos Corporativos da Anglo American, Ivan Simões, relatou como a mineradora enxerga o investimento nas comunidades em que se insere, principalmente levando em conta o durante e o pós mineração. 

“A mineração, assim como todos os outros recursos, é um ciclo. Então, a Anglo através de projetos como o Programa Crescer, já vem desenvolvendo nas comunidades em que se insere, projetos que beneficiem a economia local. Além, é claro, de priorizar o fortalecimento cultural e ambiental, visando resultados positivos no pós mineração”, contou o diretor.

Renovado por mais dois anos, o Programa Crescer foi criado em 2013, e trabalha atividades agrárias que buscam  alcançar resultados mais efetivos. Assim, a Anglo fornece treinamento, incentiva a adoção de novas práticas de trabalho e gestão, amplia o incremento de vendas e ajuda na geração de empregos e renda para os produtores rurais.

MAIS NOTÍCIAS