Pilha de tijolos: Prefeitura de Itabira admite equívoco sobre interdição da via

Por meio de nota oficial, prefeitura explica que mudará processos para evitar esse tipo de transtorno

Pilha de tijolos: Prefeitura de Itabira admite equívoco sobre interdição da via
Foto: Reprodução / Instagram
O conteúdo continua após o anúncio


Na manhã dessa sexta-feira (22), a interdição repentina da Rua Água Santa, em Itabira, após uma empresa de materiais de construção descarregar de tijolos no meio da rua causou transtornos ao trânsito matinal. Considerada uma das principais vias de acesso ao Centro da cidade, a rua ficou interditada por horas.

A ação deixou os comerciantes, moradores locais e motoristas indignados. A circulação de carros precisou ser desviada causando tumulto e longos engarrafamentos nas ruas e avenidas próximas. Além disso, o assunto deu o que falar nas redes sociais.

Ainda pela manhã, a Prefeitura de Itabira informou que a ação tinha sido acompanhada por agentes da Transita, responsáveis por controla o fluxo de veículos nas imediações. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, esse tipo de intervenção só pode ser feita com a autorização dos órgãos municipais responsáveis pela via. Nesse caso, a Prefeitura de Itabira por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano.

Nota de esclarecimento

No fim da tarde de hoje (22), a prefeitura se manifestou publicamente sobre o caso. Leia, na íntegra, a nota de esclarecimento enviada à imprensa:

“A respeito da interrupção de trânsito nesta manhã de sexta-feira (22), na rua Água Santa, a Superintendência de Transportes e Trânsito (Transita) esclarece que autorizou a interdição temporária no trecho para que a carga de tijolos fosse descarregada em uma construção.

Cabe ressaltar que interdições em vias do município são corriqueiras e sempre há análise dos pedidos por parte da Transita, que orienta a circulação de veículos interrompida e sinaliza possíveis desvios.

No caso desta sexta-feira, no entanto, houve um equivoco por parte do setor responsável pela autorização, uma vez que, pelas características dessa importante via, tal serviço deveria ser autorizado em horário e condições especiais. A Superintendência reconhece a falha e salienta que, a partir do ocorrido, adotará novos processos em vista de que outros equívocos semelhantes não mais aconteçam.

MAIS NOTÍCIAS