Polícia Civil vai investigar caso de jovem que teve pênis acariciado por cabeleireiro

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar a denúncia de assédio sexual feita por um adolescente de 17 anos contra um cabeleireiro em Itabira. O homem, que possui um estabelecimento no bairro Amazonas, não foi encontrado pela Polícia Militar para prestar esclarecimentos sobre o fato, mas a ocorrência foi registrada na Delegacia Regional da Polícia […]

Polícia Civil vai investigar caso de jovem que teve pênis acariciado por cabeleireiro

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar a denúncia de assédio sexual feita por um adolescente de 17 anos contra um cabeleireiro em Itabira. O homem, que possui um estabelecimento no bairro Amazonas, não foi encontrado pela Polícia Militar para prestar esclarecimentos sobre o fato, mas a ocorrência foi registrada na Delegacia Regional da Polícia Civil, que vai investigar o caso.

LEIA TAMBÉM:

O conteúdo continua após o anúncio

De acordo com o delegado regional, Helton Cota Lopes, a denúncia será investigada de acordo com a Lei 13.718/18 de importunação sexual. “Vamos seguir o procedimento normal começando pela vítima. Se ela confirmar o que foi dito para a PM no boletim, daremos continuidade”, afirma o delegado. A lei caracteriza como crime de importunação sexual a realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem seu consentimento, como toques inapropriados ou beijos “roubados”, por exemplo. Quando confirmada a importunação, o acusado está sujeito a punição de 1 a 5 anos de prisão.

No último sábado,11, o adolescente procurou a polícia para prestar queixa ao ter se assustado com a atitude do cabeleireiro que acariciou o seu pênis sem permissão no momento em que estavam sozinhos depois de cortar o cabelo. No momento de pagar a conta, o jovem foi puxado pelo homem que cometeu o ato.