Professores de escolas estaduais de Itabira vão aderir à greve da próxima semana

Segundo o sindicato da categoria, 14 escolas da rede estadual deverão não funcionar no município a partir da data

Professores de escolas estaduais de Itabira vão aderir à greve da próxima semana

Além de todos os problemas detectados na matrícula de alunos, a rede estadual de ensino ganhou novo problema nessta quarta-feira (5). Uma reunião na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), organziada por sindicalistas, decretou a greve de professores a partir da próxima terça-feira (11), um dia após o recomeço do ano letivo. Em Itabira, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (SindUte) confirmou que no município a paralisação deverá afetar as 14 escolas mantidas pelo Estado.

Dentre as principais reivindicações apresentadas pelos representantes do sindicato durante a reunião em Belo Horizonte estão: o pagamento do piso salarial de R$ 2.886,24; pagamentos de salários em uma única parcela; e redução do número de contratados na comparação com os concursados.

Com a aprovação da greve, as escolas estaduais voltariam a funcionar na segunda-feira (10), mas já teriam as atividades interrompidas no dia seguinte, quando se iniciaria o movimento dos professores. Ainda não há um número definitivo de quantos profissionais vão aderir à paralisação em Itabira. O SindUte irá fazer uma listagem, mas já adiantou que a cidade tem histórico de participação massiva, o que deverá impactar as escolas praticamente em sua totalidade.

O conteúdo continua após o anúncio

Por meio de nota oficial a Secretaria de Educação do Estado (SEE/MG) afirma que está mantendo um diálogo com os representantes sindicais. No dia 14 uma nova assembleia acontece para definir os rumos da greve.

Nota da SEE

“A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) respeita o direito constitucional de greve dos servidores da Educação do Estado e reitera que tem mantido um diálogo franco e aberto com representantes sindicais. Várias agendas foram realizadas, ao longo de 2019, com os representantes das entidades sindicais e do Governo do Estado nas quais assuntos da área da educação foram debatidos. A SEE/MG reforça que os canais de diálogos continuarão abertos para que as reivindicações da categoria possam ser apresentadas e debatidas.  

Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) informa que vem recebendo e dialogando com representantes dos sindicatos de todas as categorias. Até o momento, 70% dos servidores da Educação receberam o 13° salário integral. Para concluir o pagamento e pôr fim ao parcelamento de salários por seis meses, o Governo do Estado conta com a operação financeira do nióbio. A Seplag informa ainda que a remuneração inicial na rede estadual é de R$ 2.135,64 para a carga horária vigente de 24 horas semanais. Considerando a proporcionalidade sobre o valor do vencimento básico, equivale a R$ 3.304,23 para uma jornada de 40 horas, atendendo à legislação nacional”.

 

MAIS NOTÍCIAS