Selo postal é lançado em homenagem ao centenário de Dom Mário Gurgel

A cerimônia de apresentação da marca foi realizada na Catedral Nossa Senhora do Rosário durante a missa celebrada pelo bispo Marco Aurélio Gubiotti

Selo postal é lançado em homenagem ao centenário de Dom Mário Gurgel
Foto: Divulgação/Prefeitura de Itabira
O conteúdo continua após o anúncio


A Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, em parceria com a Prefeitura de Itabira e os Correios, lançou no domingo (13) o selo postal em memória do centenário de nascimento do ex-bispo dom Mário Teixeira Gurgel.

A cerimônia de apresentação da marca foi realizada na Catedral Nossa Senhora do Rosário durante a missa celebrada pelo bispo Marco Aurélio Gubiotti. A cerimônia contou com a presença do prefeito Marco Antônio Lage (PSB), da gerente da agência dos Correios-Itabira, Graziele Sales, e do deputado estadual Bernardo Mucida (PSB). Na oportunidade também foi comemorado os 56 anos da Diocese.

O selo personalizado será usado nas correspondências como forma de celebrar a vida do sacerdote, que foi o segundo bispo da Diocese. Assim, o uso da identificação postal para o envio de cartas e documentos ainda será uma forma de divulgar a imagem do dom Mário em todas as partes do mundo. Por eternizar a data celebrada, o selo configura também como peça de coleção.

Dessa forma, o design foi pensado para ser simples em seus elementos como sempre foi a maneira de viver do sacerdote. O selo traz a imagem de dom Mário associado a três ondas na cor azul, vermelha e amarela, que representam uma igreja dinâmica e as três regiões pastorais. A marca também traz o lema episcopal dele que é “Como que serve”.

Para o prefeito Marco Antônio Lage, o selo além de ser uma lembrança é uma justa homenagem para marcar os 100 anos da vida do homem que transformou Itabira na sua segunda terra. “O centenário de dom Mário segue ao lado do centenário de Doutor Colombo. Desde a minha posse, nós lançamos a ideia de transformar 2021 no ano dos centenários. E dom Mário não foi só um sacerdote que marcou época na Diocese, mas também na sociedade itabirana pelas obras sociais, sensibilidade política e participação nas discussões intensas da cidade. É com muito orgulho que cumpro o dever da Prefeitura em transformar esse centenário em uma data municipal”, afirmou.

História

Segundo o bispo Dom Marco Aurélio Gubiotti, dom Mário era “um homem franzino em sua estatura física e um gigante na sua fé”. Ele nasceu no Ceará em 22 de outubro de 1921. Foi ordenado padre em 1942 e nomeado bispo pelo então papa João Paulo VI na mesma data. Dom Mário foi o segundo bispo da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano e escolheu Itabira como sua segunda morada.

Além disso, o sacerdote foi responsável por criar grande parte dos organismos eclesiais, como o Conselho de Pastoral Diocesano e o Centro de Defesa dos Direitos Humanos. Eleito duas vezes como presidente da Regional Leste II na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Mário também esteve presente na Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira (Funcesi), Irmandade Nossa Senhora das Dores (INSD) e assumiu a provedoria do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD) na época.

Ainda, ele deu início ao projeto da construção da Igreja de Nossa Senhora das Graças, no bairro Pedreira. Escreveu vários livros, sendo que um deles teve sua venda toda revertida para ser usada nas melhorias do bairro e na construção da igreja.

* Com informações da assessoria de comunicação da Prefeitura de Itabira.

MAIS NOTÍCIAS