Settran e Acinpode discordam sobre acessibilidade do Novo Centro

Segundo Acinpode, os portadores de deficiência não foram contemplados no projeto

Settran e Acinpode discordam sobre acessibilidade do Novo Centro
Elias pediu atenção à mobilidade urbana – Foto: Cíntia Araújo/DeFato Online

Na última semana, o presidente da Associação de Cooperação e Integração dos Portadores de Deficiência de João Monlevade (Acinpode), Elias Gonçalves, usou a tribuna popular da Câmara Municipal para tecer críticas sobre a questão da acessibilidade do projeto Novo Centro. Segundo Elias, os portadores de deficiência não foram contemplados no projeto e a Associação não foi ouvida sobre a questão.

Elias fez questão de ressaltar sobre a mobilidade urbana. Segundo ele, a cidade presencia o aumento no número automóveis. “Motoristas sofrem, pedestres e principalmente cadeirantes também sofrem com a falta de respeito para circular com segurança. Há o aumento de atropelamentos e quedas” disse. Ainda segundo o representante da Acinpode, o projeto Novo Centro beneficia apenas o motorista individualmente. “Precisamos de acessibilidade, da padronização de rampas. São 20 mil pessoas com deficiência em João Monlevade. E elas têm que ser ouvidas e respeitadas pois ajudaram a eleger seus representantes”, enfatizou Elias.

Settran discorda

Brenno Lima afirmou que acessibilidade é contemplada no projeto – Foto: Cíntia Araújo/DeFato Online

O chefe do Setor de Trânsito e Transporte de João Monlevade (Settran), Brenno Lima, discordou da fala de Elias. Segundo ele, o presidente da Acinpode é atendido em tudo que solicita ao Executivo. “Acho que ele está muito equivocado. Vamos sim olhar os locais em que priorizaremos aberturas para os pedestres, em especial os que tem deficiência. Não é da noite pro dia”, disse. O chefe do Settran enfatizou ao final. “Não deixaremos ninguém sem acessibilidade”, destacou Brenno Lima.