Suspeitos de matarem PM em Monlevade ainda não recebem visitas no presídio

Os dois passam por fase de adaptação

Suspeitos de matarem PM em Monlevade ainda não recebem visitas no presídio
Presídio de João Monlevade – Foto: Cíntia Araújo/DeFato Online

Os dois suspeitos de matarem o 3º sargento Célio Ferreira Souza, da 17ª Cia. de Polícia Militar Independente, em João Monlevade, ainda não recebem visitas.: C.R.R.M., de 18 anos, e I.O.C., de 20 anos. foram presos na manhã do dia 28 de setembro, em uma residência no José Elói, bairro vizinho onde foi a ocorrência. Conforme informações do diretor do local, Melquíades Moreira França Júnior, os dois seguem em fase de adaptação.

C.R.R.M. e I.O.C. dividem a mesma cela, junto a outros presos da unidade. Eles tem direito a banho de sol quatro vezes na semana e recebem quatro refeições diárias.  A previsão é de que os dois suspeitos recebam visitas a partir da segunda quinzena deste mês.

O conteúdo continua após o anúncio

Relembre o crime

Célio Ferreira foi assassinado no combate ao tráfico de drogas, dia 28 de setembro. O crime foi na noite de sábado para domingo. Ele, que estava de plantão no comando do Tático Móvel, atendeu a uma ocorrência de um pai, que acionou a PM, informando que dois homens iriam até sua casa para matar o filho, que é menor de idade e usuário de drogas. O sargento Célio foi ao local, acompanhado de dois policiais. Os jovens foram surpreendidos pelos militares, e acuados, fugiram correndo. Célio alcançou um deles, apontado como C.R.R.M., que completou 18 anos no dia 18 de julho. Este, de posse um revólver calibre 38, deu pelo menos três disparos, sendo um fatal, que acertou a cabeça do policial.

MAIS NOTÍCIAS