Transbordamento de córrego volta a assustar moradores em Santa Maria de Itabira

Parte do Centro da cidade ficou alagada depois de uma pancada de chuva forte no fim da manhã desta quinta-feira (13)

Transbordamento de córrego volta a assustar moradores em Santa Maria de Itabira
CHuvas alagaram principal endereço do Centro de Santa Maria de Itabira – Foto: Reprodução

Uma pancada forte de chuva provocou transtornos em Santa Maria de Itabira nesta quinta-feira (13). Um córrego que margeia a entrada da cidade, na rua do Rosário, transbordou e alagou a avenida Casemiro Andrade, principal endereço do Centro da cidade.

A chuva mais forte durou cerca de 10 minutos. Tempo suficiente para fazer transbordar a parte descoberta do córrego que desagua no ribeirão Jirau, que corta toda a região central de Santa Maria de Itabira. Comércios foram invadidos pela água, bem como o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Dona Bia, localizada ao lado de um morro onde houve enxurrada (veja vídeo logo abaixo!).

De acordo com o chefe de Gabinete da Prefeitura de Santa Maria de Itabira, Eduardo Martins, não houve danos mais sérios em virtude do alagamento. Segundo comentou, a cheia que atingiu a avenida desceu pela rua do Hospital Waldemar das Dores e seguiu para o ribeirão. “Tão logo a chuva passou, o problema já havia se resolvido naturalmente”, comentou o secretário.

O conteúdo continua após o anúncio

Eduardo comentou ainda que a Prefeitura de Santa Maria de Itabira segue em alerta por causa da previsão de chuvas que segue até março. O chefe de Gabinete afirmou que equipes da Secretaria de Ação Social estão em contato direto com famílias que residem em zonas de risco e continuam prestando auxílio àqueles que foram atingidos na última cheia do ribeirão Jirau, no fim de janeiro.

transbordamento-de-corrego-volta-a-assustar-moradores-em-santa-maria-de-itabira
Ribeirão Jirau mostra volume intenso com novas pancadas de chuvas – Foto: Internauta via WhatsApp

No mês passado, diversas casas foram atingidas por causa das chuvas intensas. Cerca de 60 famílias, em 35 comunidades, tiveram prejuízos. Houve necessidade até de barcos e botes para que alguns cidadãos deixassem suas casas. “Seguimos em busca de recursos para conseguir ajudar todas essas pessoas”, disse Eduardo Martins.

Veja vídeo do momento em que a avenida Casemiro Andrade é alagada: 

MAIS NOTÍCIAS