Triângulo amoroso seria a motivação para homicídio de comerciante

Crime ocorreu no dia 7 de agosto, em Belo Horizonte

Triângulo amoroso seria a motivação para homicídio de comerciante
Foto: PCMG/Divulgação

Dois meses após o início das investigações, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu o inquérito que apurou a morte de um comerciante, de 31 anos, ocorrida no dia 7 de agosto deste ano no bairro Glória, região Noroeste da capital. O investigado pelo crime, 38 anos, que era segurança do Fórum de Belo Horizonte, foi indiciado por homicídio e irá responder em liberdade, já que não tinha antecedentes criminais e colaborou com as investigações. De acordo com a PCMG, a motivação do assassinato seria um triângulo amoroso.

“Os envolvidos tomaram as dores dos irmãos, o que gerou toda essa tragédia”, resume o delegado à frente das investigações, Guilherme Catão.

Crime

De acordo com o chefe da Divisão Especializada em Investigação de Crimes Contra a Vida (DICCV), Frederico Abelha, “esse crime tem algo de diferente do que costumamos tratar diariamente. Trata-se de um crime com fundo passional”.

O conflito teria iniciado após o irmão do comerciante não aceitar o fim do relacionamento que mantinha anteriormente. Ao descobrir que a ex-namorada estaria se relacionando com outro homem, irmão do segurança, ele foi até a casa da família e atirou diversas vezes contra o portão do então desafeto.

Ao saber do ocorrido, o segurança foi até o bar em que o homem trabalhava para cobrar os prejuízos gerados pelos tiros desferidos contra a casa dos familiares, uma semana antes. No local, o proprietário do estabelecimento, que é irmão do homem que atirou contra a casa, tomou a frente da discussão, que evoluiu para ameaças, momento em que o segurança sacou a arma, um revólver calibre 38, e atirou três vezes contra o comerciante. O homem ainda conseguiu correr para a rua, mas foi atingido por mais dois tiros.

Após o crime, o segurança fugiu em uma moto. Toda a ação foi registrada por câmeras de segurança. A chefe do DHPP, Letícia Gamboge, finaliza: “A apuração desse homicídio demonstra, mais uma vez, a eficiência investigativa do DHPP, por meio da Delegacia de Homicídios Noroeste”.

*Com informações da Polícia Civil

MAIS NOTÍCIAS