Uemg em Monlevade: governo autoriza compartilhamento de prédio com o Cesec

A medida foi intermediada pelo deputado estadual Tito Torres. A cessão do imóvel de forma compartilhada tem prazo de 20 anos

Uemg em Monlevade: governo autoriza compartilhamento de prédio com o Cesec
Prédio da UEMG em Monlevade tem, vários problemas estruturais – Foto: Cíntia Araújo/DeFato Online

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação, emitiu parecer favorável para cessão do imóvel do Centro Estadual de Educação Continuada (Cesec) Professora Elsa Maria com a Uemg, em João Monlevade. O imóvel citado fica no bairro Santa Bárbara. A medida foi intermediada pelo deputado estadual Tito Torres (PSDB), que teve retorno da secretaria na última sexta (3).

Conforme determinação da Secretaria de Educação, o imóvel deverá ser utilizado de forma compartilhada pelas duas instituições de ensino. A cessão tem vigência de 20 anos. Agora, são aguardados os trâmites entre a reitoria e a Secretaria de Estado de Educação para que seja feito planejamento sobre como será feito a cessão e quais atividades o prédio do Cesec abrigará. Há ainda a possibilidade de transferência total do campus para o bairro Santa Bárbara.

Histórico

O conteúdo continua após o anúncio

Em setembro de 2019, a reitoria da universidade se manifestou em reportagem da DeFato sobre a mudança de endereço da universidade do bairro Baú para o bairro Santa Bárbara.

Atualmente, a Uemg João Monlevade funciona em dois locais. No prédio acadêmico no bairro Baú estão instaladas as salas de aula. Há ainda um prédio alugado no mesmo bairro, onde está o centro tecnológico, que abriga os laboratórios. A universidade sempre defendeu que a destinação do Cesec para a Uemg representaria economia para os cofres públicos. Isso porque o dinheiro gasto com aluguel poderá ser investido em outras áreas.

Deputado se manifesta

Segundo o deputado Tito Torres, o prédio da Uemg no bairro Baú não atende os anseios da universidade. No local funcionam quatro cursos, quatro empresas juniores, oito entidades acadêmicas, diversos setores administrativos e um Centro Tecnológico. “Essa mudança vai além do fato de proporcionar conforto aos alunos e professores. A Uemg de João Monlevade quer expandir o atendimento à comunidade e dinamizar as pesquisas e atividades de extensão. Para isso precisa de uma estrutura mais adequada que será atendida com a cessão”, diz Tito Torres.

MAIS NOTÍCIAS