Vale divulga nota lamentando festa de casamento interrompida por sirene em São Gonçalo

A mineradora Vale pediu desculpas ao casal que perdeu festa de casamento no dia 22 de março após toque equivocado de sirenes em São Gonçalo do Rio Abaixo. Depois da história ser contada pela DeFato, a empresa encaminhou à redação uma nota lamentando o acontecido: “Simultaneamente ao acionamento da sirene em Barão de Cocais, na […]

Vale divulga nota lamentando festa de casamento interrompida por sirene em São Gonçalo

A mineradora Vale pediu desculpas ao casal que perdeu festa de casamento no dia 22 de março após toque equivocado de sirenes em São Gonçalo do Rio Abaixo. Depois da história ser contada pela DeFato, a empresa encaminhou à redação uma nota lamentando o acontecido:

“Simultaneamente ao acionamento da sirene em Barão de Cocais, na noite  de 22/3, foi disparado um alarme nas proximidades da mina de Brucutu, em Minas Gerais. A Vale reitera que o erro foi corrigido e certificou que os acionamentos das sirenes de suas barragens estão independentes. A empresa lamenta os transtornos causados e pede desculpas à comunidade de São Gonçalo do Rio Abaixo.”

Ananeria Tocedo da Cruz, 24, e Breno Lucas Cruz,37, estão processando a empresa a fim de receber indenização pelos prejuízos financeiros e morais causados pelo equívoco. Os noivos, mesmo sem a festa, tiveram que arcar com todos os custos do evento: aluguel do espaço, decoração e o buffet. Além da perda de todos os presentes que foram roubados no momento em que o espaço foi evacuado e permaneceu vazio.

O casal planejou o casamento durante dez anos e no momento em que a festa iria começar, as sirenes da Vale anunciando o rompimento da barragem da mina de Brucutu fizeram com que os noivos e mais de 100 convidados saíssem correndo na busca por segurança.

Minutos depois, o noivos e toda a população são-gonçalense descobriram que o alerta foi um “erro técnico” da mineradora. Naquela noite, as sirenes deveriam ter tocado apenas em Barão de Cocais, onde o nível de alerta da barragem Sul Superior, da Mina de Gongo Soco, foi elevado para o nível 3 de risco de rompimento.