“Apac é um sonho realizado, mas também um compromisso assumido”, comemora juíza

Cibele Mourão foi uma das principais incentivadoras da implantação da Apac em Itabira

“Apac é um sonho realizado, mas também um compromisso assumido”, comemora juíza
Foto: Tatiana Linhares / DeFato Online
O conteúdo continua após o anúncio

Na manhã dessa sexta-feira, 16 de outubro, diversas autoridades itabiranas e mineiras se reunirão para comemorar a inauguração da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de Itabira. O Centro de Reintegração Social Dr. Mario Ottoboni tem capacidade para 96 recuperandos do sexo masculino. Deste, 72 do regime fechado e 24 do semiaberto.

Essa é uma realização a muitas mãos, entre elas o Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

O TJMG investiu mais de R$ 1,9 milhão para a construção das instalações. Já a Sejusp fez um aporte de aproximadamente R$ 2,8 milhões, destinados ao custeio dos 24 primeiros meses de funcionamento da unidade. Ao todo, a Apac de Itabira contará com 19 funcionários, contratados com recursos da parceria entre a Fundação Brasileira de Assistência aos Condenados (FBAC) e o Governo de Minas.

Cerimônia de Inauguração

Durante a cerimônia de inauguração da Apac, no Fórum da Comarca de Itabira, foi realizado o descerramento da placa. Entre as autoridades presentes estava o titular da Sejusp, general Mario Araujo. Ele destacou que sua pasta trabalha em duas vertentes bem definidas com relação ao sistema prisional, a custódia e a ressocialização.

“O sistema Apac faz isso muito bem e podemos ver pelos resultados: a menor reincidência e o acolhimento positivo por parte da população carcerária. Hoje, é um dia de grande alegria para todos nós”.

Foto: Tatiana Linhares / DeFato Online

O presidente do TJMG, desembargador Gilson Soares Lemos, comemorou a nova Apac. “Temos aqui um divisor de águas no sistema prisional de Itabira. A partir de agora, o apenado com bom comportamento poderá usufruir da Apac. Lá, ele terá estudo, trabalho e formação. Eu aplaudo todos aqueles que contribuíram, de uma forma ou de outra, para essa construção”.

O conteúdo continua após o anúncio
Foto: Tatiana Linhares / DeFato Online

Para o diretor da Apac Itabira, Pastor Renato Martins da Rocha “sem dúvida alguma esse é um marco importantíssimo para a cidade de Itabira. Tivemos tempos sombrios, complicados e de incertezas. Mas, hoje podemos celebrar esse momento que, acredito, foi conduzido pelas boas mãos de Deus”.

Foto: Tatiana Linhares / DeFato Online

Expectativa positivas

Com uma história de 20 anos de luta para implementação da Apac em Itabira, a inauguração dessa manhã foi comemorada por pessoas que, há muito, acompanham e se dedicam ao projeto. É o caso do Padre Renato Menezes Cruz. “O meu primeiro sentimento é de gratidão a Deus e aos voluntários, sem eles a Apac não existiria. É com muito alegria que eu vejo concretizado esse sonho de muitas lutas”, comemora.

Uma alegria compartilhada pelo diretor do presídio de Itabira, Márcio Pedro Alves. “A filosofia da Apac é compartilhada por nós no sistema prisional. Nós, certamente, seremos afincos parceiros da Apac. Será muito proveitoso, porque são 96 vagas que nós vamos ocupar com pessoas que temos certeza que vão fazer esse sistema ser um sucesso em Itabira”.

Emoção à flor da pele

Ainda durante a cerimônia, a representante da Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (FBAC), Tatiana Flávia Faria de Souza fez questão de destacar o papel de importância de pessoas que fizeram a diferença para a implantação da Apac em Itabira.

“Agradeço aos voluntários, essa gente abnegada e disponível, que entrega sua vida e dedicação ao projeto. E eu gostaria de exaltar o trabalho da juíza Cibele Mourão. Essa mulher foi de uma coragem imensa. Não sei se teríamos condições de viver esse momento sem a bravura dela em resistir”, comemorou Tatiana.

Visivelmente emocionada, a juíza Cibele Mourão Barroso de Figueiredo Oliveira contou que essa é uma conquista pessoal também. “É difícil falar quando a assunto toca nosso coração. Para mim é muito importante porque eu sou responsável por colocar as pessoas naquela situação, por meio das minhas sentenças. É muito desconfortável saber que nós não damos condições adequadas para aqueles que cumprem pena. Esse é um sonho realizado, mas também um compromisso assumido. Batalhas e lutas vencidas, mas a guerra ainda é árdua. Hoje, estou me sentindo realizada e desafiada. A gente sabe que o trabalho só está começando”.

  • inauguração da Apac de Itabira
    Fotos Tatiana Linhares

MAIS NOTÍCIAS