Após sequência negativa, Mozart pede demissão e deixa o Cruzeiro

Desde que assumiu o comando do time celeste, Mozart conquistou apenas duas vitórias — e um aproveitamento de 33,33%

Após sequência negativa, Mozart pede demissão e deixa o Cruzeiro
Foto: Gledston Tavares/Estadão Conteúdo

Após completar nove jogos sem vitória na Série B do Campeonato Brasileiro na sexta-feira (31), à noite, no empate com o Londrina, por 2 a 2, Mozart Santos se reuniu com a diretoria, pediu demissão e não é mais o treinador Cruzeiro. Foram apenas duas vitórias no comando do time desde a sua chegada.

Há algum tempo o treinador vinha mostrando seu descontentamento com a campanha e o rendimento do time. Tanto é que o executivo de futebol, Rodrigo Pastana, chegou a fazer contato com Vanderlei Luxemburgo, justamente prevendo a eminente saída de Mozart.

O agora ex-técnico foi anunciado pelo Cruzeiro em 10 de junho para substituir Felipe Conceição. Sua contratação foi um pedido do próprio executivo Pastana, com quem o treinador havia trabalhado na temporada passada no CSA.

Em 13 jogos, Mozart conquistou apenas duas vitórias (Ponte Preta e Vasco), empatou sete vezes (Brasil-RS, Guarani, Botafogo, Goiás, Coritiba, Vila Nova e Londrina) e perdeu outras quatro (Avaí, Remo, CSA e Operário), resultando em um aproveitamento de apenas 33,3%.

Outro número que ligou o sinal de alerta é que o Cruzeiro tem a pior defesa da Série B, tendo sofrido 25 gols em 15 jogos disputados. O time não sofreu gols em apenas quatro partidas.

Pela segunda vez sem técnico na Série B, agora o Cruzeiro terá que correr contra o tempo nos bastidores. Naturalmente, Vanderlei Luxemburgo é o nome da diretoria cruzeirense, com quem inclusive já conversou nas últimas semanas. A crise financeira não é empecilho por um eventual acerto.

Com o empate desta sexta, o Cruzeiro ficou em 16.º lugar com 13 pontos. Um ponto a mais que o Vitória, primeiro time na zona de rebaixamento e que ainda jogará no final de semana.

O último jogo

Em casa, o Cruzeiro teve a iniciativa em campo e esteve mais próximo do primeiro gol. E ele saiu logo aos 14 minutos, quando Bruno José entrou na área e cruzou para Marcelo Moreno, mas a bola desviou na marcação e foi para nas redes do goleiro César.

Só que o Cruzeiro não soube administrar a vantagem e sofreu o empate aos 24 minutos. Celsinho cobrou falta pelo lado direito e encontrou o volante Matheus Bianqui, que ganhou pelo alto e cabeceou no contrapé do goleiro Fábio.

O empate foi sentido pelo Cruzeiro, que não soube se recuperar em campo. Tanto é que antes do intervalo, aos 43 minutos, Felipe Vieira lançou Felipe Augusto, que saiu em velocidade e finalizou na saída de Fábio, colocando o time paranaense na frente do placar.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou disposto a empatar e quase conseguiu aos quatro minutos, quando Rafael Sóbis recebeu na área, mas acabou travado pela marcação na hora de finalizar. Só que o Londrina respondeu no minuto seguinte em chute de Lucas Lourenço que passou rente à trave de Fábio, já batido no lance.

Sem organização e na base da vontade, o Cruzeiro tentou segurar a bola no campo de ataque e voltou a ter chances de igualar aos 24 minutos, quando Bruno José recebeu na área, puxou para a perna direita e finalizou para ótima defesa de César, que mandou para escanteio.

De tanto insistir, o Cruzeiro empatou aos 30 minutos. Wellington Nem cruzou na área, Bruno José tocou e Marcelo Moreno finalizou forte para o gol, deixando tudo igual.

Os mineiros ainda seguiram no ataque em busca da virada, perdendo ótimas chances com Wellington Nem, aos 43, e depois com Felipe Augusto, aos 46. Mas faltou tranquilidade e um pouco de sorte para evitar mais uma rodada sem vitória.

O Cruzeiro volta a campo no outro sábado (7) para enfrentar o Brusque, às 11h, no estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC). Enquanto o Londrina jogará no domingo diante do CRB, às 20h30, no Estádio do Café, em Londrina (PR).

* Com Estadão Conteúdo.

MAIS NOTÍCIAS