Belmont doa ao Samu 2.500 máscaras de prevenção ao coronavírus

A máscara é o principal EPI dos profissionais da área da saúde

Belmont doa ao Samu 2.500 máscaras de prevenção ao coronavírus
Foto: Divulgação/Belmont

Para ajudar a conter a disseminação do coronavírus (Covid-19), o Grupo Belmont doou ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Itabira 2.500 máscaras descartáveis PFF2. A doação foi realizada na manhã desta quarta-feira (1º), na sede do Samu.

Para atender aos pacientes, o Samu segue as orientações dadas pelo Ministério da Saúde aos profissionais da saúde e o uso de equipamentos de proteção individual é imprescindível.

“A máscara é nosso principal EPI. A gente tem visto nas reportagens do mundo inteiro a falta de EPIs para os profissionais da saúde atuarem. E adoecendo, esses profissionais que estão na linha de frente do combate do coronavírus, a tendência é que a pandemia piore. Por isso, é de grande importância a doação da Belmont. As máscaras vão permitir proteger a nossa equipe para que o atendimento não pare”, comentou o coordenador médico geral do Samu, Júlio Lage.

O conteúdo continua após o anúncio
Foto: Marcelo Eleto/DeFato

A máscara descartável PFF-2S CV (com válvula) é um respirador purificador de ar tipo peça semifacial filtrante para partículas. A máscara tem o formato de concha dobrável e possui solda ultrassônica em todo seu perímetro. O fator de proteção atribuído desta máscara é 10, ou seja, pode ser utilizada em ambientes cujo contaminante não exceda 10 vezes o seu limite de tolerância.

“Neste momento de mobilização mundial para combate à Covid-19, acreditamos que ações como esta beneficiam diretamente toda população. Uma vez que sabemos da importância deste equipamento de proteção na rotina destes profissionais e frente à escassez e dificuldade na obtenção destes insumos essenciais”, disse o presidente do Grupo Belmont, Marcelo Ribeiro.

Os equipamentos são utilizados, também, na área da mineração. A empresa fez a compra das máscaras alguns meses antes da pandemia estourar, já prevendo que neste cenário seria difícil encontrar o material. No entanto, com a redução da produção devido às medidas de proteção aos funcionários, a Belmont entendeu a necessidade do EPI para os profissionais de saúde de Itabira e decidiu fazer a doação.

“O Grupo Belmont acredita que ações como esta são de extrema importância e contribuem efetivamente para o controle da pandemia e consequente achatamento da curva de contaminação”, frisou.

Foto: Marcelo Eleto/DeFato

MAIS NOTÍCIAS