Escolas em São Paulo planejam volta às aulas com médico e estúdios

A volta às aulas na rede paulista tem duas grandes incógnitas: quando e como.

Escolas em São Paulo planejam volta às aulas com médico e estúdios

A volta às aulas na rede paulista tem duas grandes incógnitas: quando e como. Sobre a data, o governo estadual anunciou semana passada um plano que prevê retomar classes presenciais em 8 de setembro, se infecções e internações pela Covid-19 estiverem sob controle. Para a segunda questão, colégios particulares tradicionais criam comitês, contratam consultorias e adiantam obras. Já escolas públicas têm aval para fazer mudanças, mas com uma diferença: as decisões têm de ser tomadas pensando em múltiplas realidades sociais.
O Colégio Santa Cruz, na região de Pinheiros, zona oeste de São Paulo, tem desde março a colaboração de um grupo de médicos e de professores da USP. Uma equipe de enfermeiros já foi contratada para medir a temperatura de quem entra na escola.
O diretor Fabio Aidar conta que as salas estão sendo adaptadas para respeitar maior distanciamento entre carteiras e mais torneiras serão instaladas. “A expectativa no primeiro momento é que o aluno venha pelo menos uma vez por semana. Vamos definir ainda como será a frequência.” A orientação feita pelo governo estadual na semana passada é para evitar o compartilhamento de material. “Recomendamos que cada criança traga seu notebook.”

Serviços relacionados