5 Motivos para se ter uma reserva de emergência

A medida é importante para evitar gastos elevados ou desnecessários em algum imprevisto ou por falta de planejamento

5 Motivos para se ter uma reserva de emergência
Foto ilustrativa

Com a correria do dia a dia, as responsabilidades e as despesas, raramente sobra dinheiro. Assim fica difícil separar uma parte dos ganhos para guardar e investir. No entanto, esse hábito é muito importante para evitar gastos elevados ou desnecessários em algum imprevisto ou por falta de planejamento. E a reserva de emergência te ajuda exatamente nesses momentos.

O que é a reserva de emergência?

Como o próprio nome indica, a reserva de emergência é uma quantia considerável que precisa estar disponível de forma rápida e fácil, para ser utilizada apenas em situações inesperadas, como um acidente, o aparecimento de uma doença ou outro imprevisto que exija pagamento imediato ou em curto prazo.

Entre as principais lições sobre educação financeira, destaca-se a importância de ter uma reserva de emergência. Apesar disso, muitas pessoas adiam essa tarefa por acharem que o planejamento é difícil, que não têm dinheiro suficiente ou, até mesmo, que podem contar com a sorte de nunca ter que precisar dessa poupança. Mas, como é impossível prever o futuro, é primordial estar preparado para qualquer tipo de situação.

Por que devo ter uma?

Já falamos um pouco sobre a importância desse investimento, mas, caso você ainda esteja se questionando, aqui vão cinco dos vários motivos para começar a separar uma parcela dos seus ganhos ainda neste mês.

1) Ter uma vida financeira equilibrada

Planejamento e organização são pontos-chave na otimização de qualquer situação, inclusive para conquistar o controle da sua vida financeira. Como você terá que economizar para cumprir o objetivo estabelecido mensalmente, isso também te ajudará a aprender a encontrar o equilíbrio entre o que ganha e o que gasta.

2) Garantir recursos para resolver problemas

Para resolver os imprevistos, quase sempre, será preciso dinheiro. Com uma reserva de emergência, garantimos que quando os imprevistos aparecerem, estaremos preparados e não precisaremos recorrer a dívidas desnecessárias. Alguns exemplos que podem acarretar o acionamento da reserva são um problema na saúde de algum membro da família, um acidente ou o conserto urgente de algum bem, como sua casa ou carro.

3) Ter poder de negociação

Além de ter mais segurança diante de um imprevisto, ter dinheiro em mãos facilita condições de pagamento e até a redução de preços. Mesmo que você não tenha o valor total necessário, o montante que tiver para pagar à vista ajuda em um momento de negociação. Mas não esqueça: sempre que a reserva for utilizada, priorize sua reposição o mais rápido possível.

4) Proteger seu patrimônio

Seja um carro, uma casa ou outros bens materiais, o que você tem hoje provavelmente foi resultado de muito esforço e trabalho durante algum tempo. Tudo isso tem valor e não é algo que queira perder. Por isso, para evitar precisar vender seus bens às pressas – o que muitas vezes faz você receber um valor bem abaixo do de mercado –, basta contar com o que foi reservado.

5) Ganhar mais dinheiro

Além de todos esses benefícios, ter uma reserva de emergência pode te ajudar a gerar ainda mais dinheiro e se sentir cada vez mais confortável e seguro. Ela pode ser aplicada em algum investimento para que fique rendendo enquanto não for acionada.

Em vez de deixar o dinheiro parado num cofre, procure uma opção rentável e segura. Além da poupança, existem ótimas oportunidades de investimento. No Sicoob, por exemplo, você pode investir no RDC, que é uma aplicação de renda fixa com rentabilidade e liquidez diárias. Além de ter flexibilidade na escolha do prazo pelo qual seu dinheiro ficará aplicado, você aumenta sua participação nos resultados da cooperativa.

Então, como devo começar?

Faça uma planilha ou anote em uma agenda seu orçamento mensal, para saber o quanto você utiliza com gastos fixos, variáveis, extras e supérfluos. Aproveite para refletir o que pode ser economizado e programe um valor ou uma porcentagem dos seus ganhos para compor a reserva.

Se você utiliza R$ 3.500 por mês, por exemplo, sua reserva de emergência ideal é de R$ 21.000. Assim, guardando R$ 583 por mês, em 36 meses você já consegue consolidar seu objetivo.

Ainda acha um valor muito complicado? Comece pensando em três meses ou até mesmo juntando uma quantia menor. Mesmo que vá aos poucos, planeje-se para aumentá-la e tenha em mente que o ideal é alcançar o equivalente ao seu custo de vida por seis meses.

Lembre-se: você vai precisar de disciplina e de um pouco de conhecimento, mas os resultados mais do que compensam o esforço. Afinal, o que é melhor do que garantir a segurança e a tranquilidade de contar com recursos financeiros e ainda poder arcar com despesas em um momento de necessidade?

Serviços relacionados