“Com certeza foi o maior simulado do Brasil”, diz secretária de Meio Ambiente de Itabira

Priscila Braga Martins da Costa exaltou o trabalho desenvolvimento no município e disse que cidade mostrou ser muito corajosa

“Com certeza foi o maior simulado do Brasil”, diz secretária de Meio Ambiente de Itabira
Priscila Martins da Costa, secretária de Meio Ambiente de Itabira – Foto: Déborah Oliveira/DeFato

A secretária municipal de Meio Ambiente, Priscila Braga Martins da Costa, exaltou o trabalho desenvolvido em Itabira durante o simulado de emergência de barragens. Ela disse não ter dúvidas, pelos números envolvidos, de que o treinamento realizado no município foi o maior já feito nesse modelo em todo Brasil.

De acordo com Priscila, o índice de 40,9% de comparecimento da população não só foi satisfatório como “surpreendeu as expectativas”. A secretária citou que eram 14 mil pessoas nas zonas de autossalvamento (ZAS) e mais 5 mil nas áreas secundárias e que, por se tratar de um sábado, os 7,7 mil participantes representam número considerável.

“Quero agradecer a comunidade que se envolveu. É uma comunidade corajosa. Fazer um simulado com 20 mil pessoas depende de uma equipe corajosa e de uma cidade muito corajosa. A nossa segurança é feita por antecipação. Ela não pode ser corretiva”, afirmou a secretária, que ainda anunciou que, a partir de 2020, vai iniciar em Itabira a “cultura dos simulados”, com trabalhos nas escolas.

Ainda segundo Priscila, as reclamações apresentadas pela comunidade durante o simulado serão trabalhadas para serem corrigidas. “Temos que aprimorar sempre. O simulado é exatamente para isso: para aprender e prevenir. Estamos aprendendo. A nossa tarefa é sempre evoluir”, disse a secretária de Meio Ambiente.

Preocupação com a segurança

Nas redes sociais, o prefeito de Itabira, Ronaldo Magalhães, compartilhou fotos de sua permanência no centro de comando montado na Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Ele viu de perto o monitoramento de todos os pontos de comando e conversou com coordenadores do simulado.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo o prefeito, o treinamento em Itabira atende a uma série de cobranças feitas à Vale desde as tragédias de Mariana e Brumadinho. Ele afirmou que a Vale “tem importância ímpar à economia local”, mas que a maior preocupação é com a segurança das pessoas.

“A mobilização histórica que temos hoje é preventiva. Continuaremos trabalhando e cobrando de todos os envolvidos para que não tenhamos aqui uma situação de emergência”, escreveu o prefeito.

Prefeito Ronaldo Magalhães acompanhou trabalhos no centro de comando – Foto: Divulgação

Prevenir também é heroísmo

A juíza da Primeira Vara Cível de Itabira, Karen Castro dos Montes, também acompanhou o simulado. Responsável por julgar as ações civis impetradas pelo Ministério Público contra a Vale por causa da segurança das barragens, a magistrada  elogiou o trabalho preventivo desenvolvido na cidade.

“Não são heróis apenas aqueles que agem depois das tragédias, mas também aqueles que trabalham na prevenção. Esse trabalho impede que aconteça o que aconteceu em Brumadinho. Foi maravilhoso o que aconteceu aqui, mas vamos também trabalhar para que não precisemos usar do que aconteceu aqui hoje”, pontuou a juíza.

Juíza Karen Castro dos Montes – Foto: Déborah Oliveira/DeFato

Sucesso é o aprendizado

O gerente executivo da Vale em Itabira, Rodrigo Chaves, defendeu que o sucesso do simulado está diretamente ligado ao aprendizado de todos os envolvidos, seja na organização ou enquanto participantes. De acordo com ele, o trabalho vinha sendo planejado há muito tempo e só foi realizado quando houve a oportunidade de “adequar o planejamento à realidade”.

“É importante a gente fazer um simulado deste porte e ver a capacidade dos itabiranos e a cidadania dessas pessoas. Foram quase 8 mil pessoas participando do simulado e quase nenhuma ocorrência. Para nós foi um sucesso. E o que é o sucesso? É aprender! Este é o grande ponto. Nós viemos hoje para aprender e temos certeza que vamos sair daqui melhores do que chegamos”, analisou o executivo.

Rodrigo Chaves, gerente executivo da Vale em Itabira – Foto: Déborah Oliveira/DeFato

MAIS NOTÍCIAS