Estado endurece medidas restritivas a estabelecimentos; veja o que muda!

Deliberação nº 17, a qual segue Itabira, por exemplo, sofre modificações e forçará novas adaptações das empresas autorizadas a funcionar

Estado endurece medidas restritivas a estabelecimentos; veja o que muda!
MInas Gerais intensifica combate ao coronavírus – Foto: SES/MG

O novo coronavírus avança em Minas Gerais e obriga o Governo do Estado a determinar medidas mais restritivas nos municípios. Nesta sexta-feira (26), o Comitê Extraordinário Covid-19 publicou atualização da Deliberação nº 17, de 22 de março, com novas recomendações, que precisarão ser adotadas pelos estabelecimentos autorizados a funcionar.

A Deliberação nº 58 (veja aqui na íntegra!) é uma atualização da Deliberação 17, que foi publicada em 22 de março, e que é seguida, por exemplo, pela Prefeitura de Itabira para autorizar a flexibilização das medidas de isolamento social. Com as novas regras publicadas, as empresas deverão limitar ainda mais os espaços internos para consumidores, com ocupação máxima de uma pessoa por dez metros quadrados. Caberá ao estabelecimento também gerenciar as filas de espera, inclusive com demarcação de posições, observado o distanciamento mínimo de dois metros entre os consumidores.

Segundo explica o secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Marcelo Cabral Tavares, as alterações feitas são uma forma de conter o contágio do vírus e, assim, uma oportunidade de os pacientes da Covid-19 contarem com um atendimento mais efetivo, principalmente, para leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O conteúdo continua após o anúncio

A partir de agora, além da recomendação de os municípios restringirem visitas a centros de convivência de idosos, a restrição vale também para os serviços de acolhimento institucional de idosos. Outra mudança é que, antes, a recomendação era de suspensão a serviços, comércios, atividades ou empreendimentos, públicos ou privados, com circulação ou potencial aglomeração de pessoas com mais de 30 pessoas. Agora, com atualização, não há mais um número limite de público.

Outra recomendação é o regime de trabalho remoto para as atividades administrativas, ressalvadas a necessidade de manutenção de escala mínima, quando imprescindível. Além dele, o documento recomenda o afastamento de atividades de todos os colaboradores com sintomas de doença respiratória, ainda que leves.

O documento também institui regime de teletrabalho para todos os colaboradores que façam parte de grupos potencialmente mais vulneráveis à COVID-19, em especial, pessoa maiores de sessenta anos, gestantes, lactantes e portadores de doenças crônicas.

Com a curva de contágio em aceleração, Minas Gerais registrou, nas últimas 24 horas, 6.122 novos casos de coronavírus, recorde de notificações de pacientes infectados no período de um dia. A Secretaria Estadual de Saúde (SES/MG) também já constatou 833 óbitos em todo o estado, sendo 27 mortes nas últimas 24 horas. Os dados também indicam que 20.120 pessoas já se recuperaram da covid-19 em municípios mineiros.

MAIS NOTÍCIAS