Ferros descarta morte por coronavírus, mas casos da doença causam apreensão na cidade

Pandemia mudou completamente a rotina do pequeno município

Ferros descarta morte por coronavírus, mas casos da doença causam apreensão na cidade
Rua Sant’Ana passou por processo de desinfecção – Foto: Divulgação

Com cerca de 10 mil habitantes, a rotina da pacata cidade de Ferros foi atropelada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Até hoje (7), o município contabilizava 21 casos suspeitos, dois confirmados e dois descartados. Um óbito chegou a ser investigado por ligação com a doença, mas foi descartado após exame. Tanta novidade, nada positiva, tem causado apreensão na população.

“Nossa, é muito difícil! Um sentimento de impotência. Não tem que possa ser feito além de permanecer em casa. Eu sofro de ansiedade. Então, é difícil receber tantas notícias ruins e ainda não saber ao certo até quando isso vai durar”, comentou a engenheira Joana Gabriela.

O jornalista Cyro Gonçalves, 42 anos, conta que faz parte do grupo de risco para coronavírus, pois tem problemas respiratórios. Além disso, a preocupação aumenta, pois ele um filho pequeno e a mãe já é idosa. Cyro conta que no início da pandemia as pessoas compreenderam os riscos e ficaram em casa. No entanto, após alguns dias, o decreto de isolamento social começou a ser desrespeitado por parte da população.

“Nossa situação é preocupante. Como a maioria das cidades pequenas, não temos estrutura de saúde adequada, com leitos de UTI e respiradores. Todo caso mais grave que tiver aqui vai ter que ser encaminhado para Itabira, que é nosso polo regional. Mas a gente sabe que em uma pandemia, como a que vivemos, uma cidade com o porte de Itabira pode não dar conta também. Não tem leitos para a região toda”, disse.

Cyro Gonçalves lembrou, ainda, que, por se tratar de uma doença nova, não há vacina, medicação e nem um protocolo totalmente definido. “Tudo está sendo descoberto agora. A ciência está colocando as cartas na mesa. E o instinto de sobrevivência de algumas pessoas têm falhado”, ponderou.

Sobre os casos

Dos 21 casos suspeitos, 12 permanecem em isolamento domiciliar, dois estão internados e sete já cumpriram o período de isolamento social. Um caso foi descartado após exame realizado pelo Laboratório Ezequiel Dias (Funed); outros cinco ainda aguardam o resultado. O óbito que era investigado como suspeita de coronavírus apontou como negativo no exame swab. Já dos casos confirmados, todos encontram-se assintomáticos e já cumpriram o período de isolamento social.

“De segunda (6) pra cá houve um certo temor, pavor, da população por causa de uma morte que existiu. Mas estamos trabalhando atentamente, investigando e acompanhando todos os casos”, disse o prefeito, Raimundo Menezes de Carvalho Filho “Diquinho” (PSDB), que se refere a uma paciente de 47 anos, que morreu no Pronto Socorro de Itabira.

De acordo com Diquinho, o atestado deu como desconhecido a causa do óbito. A paciente deu entrada no Hospital São Judas Tadeu, em Ferros, na sexta-feira (3), com queixa de dispneia, falta de ar, e edema nos membros inferiores, com as pernas inchadas.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Marina de Brito e Silva, a paciente foi avaliada com todo o cuidado, seguindo o protocolo. Após avaliação médica, foi descartado a suspeita de coronavírus e ela não entrou para o quadro de pacientes com suspeita da doença.

O conteúdo continua após o anúncio

“Ela apresentou alterações que condizem com diagnóstico de alteração cardíaca. Foi medicada, permaneceu hospitalizada até no sábado (4) e, quando por volta de 13h, recebeu alta com melhora significativa do quadro. A paciente retornou no domingo (5), por volta de 23h, apresentando um agravamento do quadro de falta de ar. Foi solicitado a transferência para Itabira. Mas em momento algum foi transferida como suspeita de coronavírus. Ela foi transferida em uma UTI móvel, deu entrada no Pronto Socorro e faleceu por volta de 7h35 da manhã de segunda (6)”, relatou a secretária de saúde.

Marina Silva conta que, após constatado o óbito, as equipes de saúde de Ferros e Itabira entraram em consenso e foi decidido fazer o exame para descartar a suspeita de Covid-19. No boletim epidemiológico divulgado nesta terça, aponta que o exame swab deu negativo.

Paciente internado em Itabira

Um homem, de 35 anos, morador da zona rural de Ferros, está internado em Itabira desde terça-feira (7). O paciente deu entrada no hospital de Ferros no domingo (6), onde permaneceu internado até a madrugada de terça. Ele também foi transferido em uma UTI móvel, conforme é protocolado.

Nesta quarta-feira (8), segundo o Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), onde está internado, seu quadro de saúde era “estável hemodinamicamente, afebril, em ar ambiente”. Foi coletado material para exame para Covid-19. O resultado ainda é aguardando.

Conscientização

A secretária municipal de Saúde de Ferros, Marina de Brito e Silva, contou que tem ouvido muitos questionamentos da população. “Será que é verdade? Será que não é fake news ou estão aumentando isso por causa disso ou daquilo? Estão querendo fazer terror.”

“Queremos que a população se conscientize que o Covid-19 é real e temos que manter nossas ações de cuidado. Nossa orientação é para que mantenham os cuidados de higiene e, principalmente, só saiam de casa em caso de extrema necessidade. Só procure o serviço de saúde em caso de extrema necessidade”, destacou.

Marina Silva frisou que os profissionais de saúde estão à disposição para fazer quaisquer esclarecimentos. Para tirar dúvidas ou saber como proceder em caso de suspeita de contaminação por coronavírus, a população pode ligar para os seguintes telefones (31) 99626-1075, (31) 3863-1512 (Unidade de Saúde Moacir Dias Lage) ou (31) 3863-1287 (Hospital São Judas Tadeu).

“Estamos aqui para trazer informações sérias, pautadas na legalidade. Não trazemos, de forma alguma, nada sem ter respaldo”, ponderou a secretária de saúde.

Desinfecção de espaços públicos

Nesta quarta-feira (8), a Prefeitura de Ferros começou a desinfecção de espaços públicos. A ação, que faz parte das medidas de prevenção ao novo coronavírus. Profissionais equipados com EPIs, e com a ajuda de um caminhão, dispersam pelas ruas uma solução desinfetante, composta por água e cloro.

MAIS NOTÍCIAS